Orkut está de luto pelas vítimas de acidente da TAM

Cresce o número de comunidades dedicadas ao assunto; internautas se solidarizam com familiares

Bia Rodrigues, do estadão.com.br

19 de julho de 2007 | 20h58

A revolta e comoção causada pelo acidente com o vôo 3054 da TAM, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, chegou ao Orkut. O site de relacionamento está oficialmente de luto pelas 188 pessoas que morreram. Ao acessar a página, o internauta se depara com a seguinte mensagem "A equipe do Orkut se solidariza com os familiares e amigos das vítimas do terrível acidente do vôo 3054".  Na noite de terça-feira, um Airbus A 320 com 186 pessoas a bordo derrapou na pista principal do aeroporto, tentou arremeter, atravessou a avenida Washington Luis e bateu entre o primeiro e segundo andar de um prédio da TAM.  A comoção é tão grande que o Orkut tem quase mil comunidades dedicadas ao acidente. A maior, Acidente TAM - Vôo 3054, tem 43.779 membros. Muitas delas trazem tópicos com links para os perfis de algumas das vítimas. Mas não há só comunidades sérias, há outras que brincam com a tragédia, como a Churrascão 3054, com 120 membros.  Os internautas também tentam diminuir a dor daqueles que perderam familiares e amigos na maior tragédia brasileira através do site. Nos perfis das vítimas, há inúmeras mensagens de consolo. A página de Carla Fioratti registrava até a noite de quinta-feira mais de três mil mensagens de apoio. O perfil de Vinicius Coelho tinha mais de quatro mil mensagens. Familiares de algumas das vítimas já retiraram alguns perfis, como o de Fabiola Freitag.  A revolta e a comoção também chegou ao mundo virtual Second Life. A Ilha Brasil SP Jardins colocou um outdoor na praça principal com os dizeres "Alguém vai ter que pagar por mais essas vidas perdidas. O Brasil não tolera mais a falta de vergonha".  Já a Ilha Brasil Porto Alegre organizou protesto na noite de quarta-feira, 18, e prepara abaixo-assinado digital contra a "incompetência" e "irresponsabilidade" de governantes.

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.