Órgão admite omissão e diz que análise é provisória

Em nota oficial, o BEA voltou a destacar que a investigação prossegue e as conclusões divulgadas na sexta-feira são "provisórias". O órgão admitiu que eliminou do terceiro relatório preliminar a necessidade de uma recomendação sobre os alarmes, por considerar essa exigência "prematura neste momento".

, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2011 | 00h00

O escritório francês de investigação aeronáutica destaca, porém, que a recomendação constou abertamente de um informe preliminar enviado à Air France, à Airbus e ao sindicato dos pilotos franceses, embora não conste do terceiro relatório. E negou qualquer falta de transparência.

"Nunca houve uma investigação tão transparente", completou o ministro francês dos Transportes, Thierry Mariani - o BEA trabalha sob a tutela de seu ministério. O BEA informou que investiga por que os pilotos não conseguiram salvar o avião, mesmo ouvindo o alarme de estol. O relatório final deve ser divulgado em 2012. /EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.