Orçamento de 2011 passa em 1ª votação

A Câmara Municipal aprovou ontem, em primeira votação, a proposta do orçamento para 2011. Agora, os vereadores têm duas semanas para apresentar emendas. O prefeito Gilberto Kassab (DEM) prometeu executar, assim como nos dois anos anteriores, R$ 2 milhões em emendas de cada um dos 55 vereadores.

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2010 | 00h00

Apesar da votação, foi mais um dia de tensão na Casa. O presidente da Câmara, Antonio Carlos Rodrigues (PR), afirmou ontem que nenhum outro projeto será votado neste ano. As 78 propostas que deveriam ser levadas ao plenário antes do recesso de janeiro serão adiadas para o próximo ano, incluindo os projetos de concessão dos relógios de rua e abrigos de ônibus e outras 42 leis de melhorias urbanas.

Não existe acordo de lideranças para qualquer pacote de votação em meio à disputa pela presidência da Casa, segundo Rodrigues. A eleição ocorre no dia 15. O presidente controla a pauta da Casa e quer fazer sucessor seu aliado Milton Leite (DEM), do bloco pluripartidário conhecido como "centrão". O adversário do bloco, que comanda o Legislativo desde 2005 e tem como aliada a bancada de 11 vereadores do PT, é o líder de governo José Police Neto (PSDB). O tucano tem o apoio do prefeito Gilberto Kassab (DEM) e de outras dez siglas.

Em meio à disputa, Kassab ofereceu ao PR, a partir de 2011, as secretarias de Esportes e de Participação e Parceria. A permissão faz parte do acordo do prefeito com o partido em 2008.

A sigla apoiou sua candidatura à reeleição e indicou o vereador Marcos Cintra (PR) para a pasta de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho. Mas Cintra foi expulso do PR em setembro, após declarar apoio para Geraldo Alckmin (PSDB) ao governo do Estado. Rodrigues disse ontem, ao lado do presidente municipal do PR, vereador Toninho Paiva, que não sabe se vai aceitar os cargos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.