Oposição pede que MPF faça monitoramento

Entidades médicas e partidos de oposição prometem recorrer ao Ministério Público Federal (MPF) para barrar a importação de profissionais. Alegam que a falta de condições mínimas de trabalho e da revalidação do diploma fere a legislação.

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2013 | 02h02

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio, disse em nota que pedirá ao MPF "monitoramento constante e rígido" para garantir "a segurança dos profissionais brasileiros e estrangeiros".

Em São Paulo, a classe médica contesta o critério de alocação dos médicos. "É meramente eleitoreiro", diz o presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), Cid Carvalhaes. O presidente do Conselho Regional de Medicina (Cremesp), Renato Azevedo Júnior, diz que a medida não resolve o problema. "Campinas é um dos locais com mais médicos por habitante no País, tem muitas universidades. Mas ninguém fica na região, pois não há estrutura, plano de carreira ou remuneração adequada."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.