Oposição critica nova terceirização na área da Saúde

Minoria na Assembleia Legislativa, a bancada de oposição à gestão Geraldo Alckmin (PSDB) promete lutar contra o que considera uma nova tentativa do governo de terceirizar o atendimento médico no Estado. O deputado estadual Luiz Claudio Marcolino, líder da bancada do PT, afirma que a proposta de construir hospitais por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs) não se justifica do ponto de vista orçamentário.

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

10 Maio 2013 | 02h06

"O Estado tem como assumir essas e outras unidades necessárias com recursos próprios. No ano passado, aliás, o governo nem gastou toda a verba que tinha para investimento. Dos R$ 21 bilhões, usou R$ 16 bilhões."

Marcolino considera desmedida a tentativa de Alckmin de jogar para a iniciativa privada a responsabilidade de investimentos em áreas essenciais à população. "Além dos hospitais, há planos de terceirizar a construção de piscinões, linhas de metrô e até fóruns. Isso sem falar nos repasses feitos às organizações sociais, que somam valores cada vez maiores. São projetos que somam incertezas", diz o petista.

A PPP dos hospitais não será a única na área da Saúde. O governo ainda pretende produzir e distribuir medicamentos em parceira com a iniciativa privada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.