Operários são atropelados na Marginal Tietê e um morre

José Roberto Nunes Jr., de 23 anos, dirigia em alta velocidade quanto atingiu os trabalhadores

Efe

08 de fevereiro de 2008 | 02h52

Dois operários da Construtora Camargo Correia, que providenciavam sinalização para realização de obras da AutoBan, foram atropelados por um auto Renault Mégane, na pista expressa da Marginal do Tietê, junto à Ponte Attílio Fontana, na região de Vila Jaguara, zona oeste da capital.  O fato ocorreu por volta das 23 horas desta quinta-feira. Um deles morreu e o outro sofreu fratura de perna. O motorista sofreu traumatismo craniano, quando o veículo se chocou contra o guard-rail lateral da pista.  Depois da demolição das casas de alvenaria de uma pequena favela existente junto àquela ponte, para a construção de novas vias de acesso à Rodovia Anhangüera, a Camargo Correia, contratada pela Autoban, concessionária que administra o Sistema Anhangüera-Bandeirantes, iniciou obras na Marginal Tietê do complexo viário naquele local.  No momento, os operários colocavam cones luminosos, reduzindo a pista para garantir a segurança daqueles que estão empenhados naquela obra.  Enquanto a pista era sinalizada, surgiu, em lata velocidade, o Renault Mégane com placas de Curitiba, dirigido por José Roberto Nunes Jr., de 23 anos. O carro invadiu a área sinalizada e atingindo o operário Wilson Cláudio dos Santos Guedes, de 35 anos. Ele morreu quando era socorrido por uma equipe de resgate da própria concessionária ao PS de Pirituba.  A velocidade era tal que, cerca de 50 metros adiante o carro atropelou outro trabalhador Ivonaldo Pereira dos Santos, de 23 anos, que executava a mesma função. Com fratura exposta numa das pernas ele foi levado por outra ambulância da AutoBan para o PS do Hospital Regional de Osasco. Depois do duplo atropelamento o carro girou na pista e se chocou contra o guard-rail. O motorista desmaiou e, segundo os funcionário do Samu que o socorreram ao Hospital da Clínicas, sofreu traumatismo craniano e encontra-se em estado grave. Caía chuva fina, no momento do acidente e a pista estava bastante lisa.  A alta velocidade foi, no mínimo, um ato de imprudência do condutor do veículo. A pista expressa da Marginal do Tietê ficou parcialmente interditada, com relativa lentidão, segundo a CET (Companhia de Gerenciamento de Tráfego). Só não causou maiores problemas ao tráfego devido ao horário.

Tudo o que sabemos sobre:
Marginal Tiêtemorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.