Operários de Viracopos decidem manter paralisação até o dia 7

Obras de ampliação do aeroporto estão suspensas desde o acidente que feriu 14 trabalhadores na terça-feira

Sarah Brito, Especial para o Estado

03 Maio 2013 | 12h10

CAMPINAS - Os operários que trabalham nas obras de ampliação do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, decidiram na manhã desta sexta-feira, 3, em assembleia, manter a paralisação total, até terça-feira, 7. Os trabalhadores paralisaram na quarta-feira as obras devido ao segundo acidente em menos de 40 dias no local.

Na terça-feira, 30, à noite, 14 operários ficaram feridos após caírem de uma altura de 10 metros, em uma estrutura de madeira. Em março, um operário morreu soterrado na obra. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada, Infraestrutura e afins do Estado de São Paulo (Sintrapav), o acidente coincidiu com o dissídio coletivo e no dia 7 haverá reunião entre empresas, funcionários e sindicato para discutir a pauta de reivindicações, que inclui 17% de aumento salarial, mais R$ 280 no valor da cesta básica e melhorias nos alojamentos, que estariam superlotados.

O Ministério do Trabalho e Emprego mantém ainda o embargo parcial no local do acidente, além de serviços feitos em altura e parte das concretagens nas obras de ampliação. Segundo o ministério, a concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, responsável pelo aeroporto, ainda não enviou a documentação necessária para a liberação da construção. A empresa, em nota oficial, informou que "continua apurando as causas do acidente".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.