Operários de obra embargada se reúnem com procuradores

Grupo encaminhado ao Ministério Público do Trabalho é da mesma empresa que atuava em prédio que desabou no dia 27, matando dez pessoas

Artur Rodrigues, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2013 | 16h53

Atualizada às 17h22.

SÃO PAULO - Funcionários da empresa Salvatta Engenharia que trabalhavam em uma obra em Santo Amaro foram encaminhados nesta segunda-feira, 9, à sede do Ministério Público do Trabalho.  A empresa é a mesma que atuava na obra embargada que desabou em São Mateus, na zona leste, no dia 27 de agosto, matando dez pessoas.

O grupo de cerca de 20 funcionários foi flagrado trabalhando em uma obra onde auditores constataram "diversas irregularidades", em razão do não atendimento das normas regulamentares de saúde e segurança. Depois disso, a construção foi embargada.

Os operários se reuniram com procuradores do MPT e com um representante da Justiça Trabalhista, na sede do Ministério Público do Trabalho, no Paraíso, na zona sul da capital.

Os operários teriam sido encontrados em um alojamento próximo da obra, em Santo Amaro, na sexta-feira. O Estado ligou para a Salvatta, mas ninguém atendeu os telefonemas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.