Polícia Civil /divulgação
Polícia Civil /divulgação

Operações do MP prendem 31 e desarticulam células do PCC no interior

Investigações duraram seis meses e incluíram escutas telefônicas autorizadas pela Justiça

José Maria Tomazela , O Estado de S.Paulo

08 Agosto 2018 | 14h39

SOROCABA - Operações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual, com apoio das polícias civil e militar, prenderam 31 pessoas ligadas à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), entre a tarde de terça e a manhã desta quarta-feira, 8, no interior de São Paulo. As ações desarticularam células do PCC que comandavam o tráfico de drogas e outros crimes nas regiões de Sorocaba, Vale do Paraíba e litoral sul do Estado de São Paulo.

Em Sorocaba e cidades da região, foram presas dez pessoas envolvidas com o tráfico, roubos e sequestros ordenados a partir de presídios. Outros quatro mandados de prisão tiveram como alvo criminosos já presos. Entre os detidos está uma mulher que recebia as ordens vindas dos presídios e repassava para o grupo do lado de fora. Segundo o Gaeco, pelos menos dois dos detidos são investigados por participação em ataques com explosivos a agências bancárias.

As investigações duraram seis meses e incluíram escutas telefônicas autorizadas pela Justiça. O grupo dominava o tráfico também em pequenas cidades, como Conchas, Cerquilho, Tietê, Laranjal Paulista e Cesário Lange. Um dos suspeitos foi preso em uma clínica de reabilitação na cidade turística de Campos do Jordão. Foram apreendidos celulares, armas, munição, drogas e dois cadernos com anotações sobre os crimes e a contabilidade do tráfico. O conteúdo será analisado durante a sequência das investigações. A Polícia Militar mobilizou 120 homens em apoio à ação. 

'SINTONIA' - Outra operação do Gaeco, em Cananéia, litoral sul do Estado, prendeu nesta terça-feira, 7, 15 pessoas que lideravam a distribuição de drogas na região. Ainda segundo o Gaeco, as investigações mostraram que o PCC havia dado início a um plano de expansão das atividades no Vale do Ribeira, região sul do Estado. Os detidos estavam sob o comando de Fabiano Robson dos Santos Freitas, o "Febem" ou "Fênix", considerado o "sintonia geral" (chefe) da facção na Baixada Santista e Vale do Ribeira. Freitas foi preso no ano passado, acusado de fornecer armas e drogas para criminosos do Rio de Janeiro. A operação mobilizou 150 policiais e cumpriu 43 mandados e buscas e prisão.

Em Caçapava, no Vale do Paraíba, a operação da Polícia Civil, com apoio do MP, prendeu quatro homens e duas mulheres por tráfico de entorpecentes, na madrugada desta quarta. Entre os detidos estão dois homens de nacionalidade paraguaia, suspeitos de fornecer e transportar a droga para a quadrilha brasileira. Com eles, os policiais apreenderam 840 quilos de maconha e 40 quilos de pasta base de cocaína. 

O bando estava numa chácara, no bairro da Germana, e vinha sendo monitorado desde a tarde de terça. Os policiais cercaram e invadiram o local, sem encontrar resistência. Além das drogas, foram apreendidas balanças de precisão, embalagens para cocaína, celulares e três veículos. Segundo o delegado Régis Germano, a investigação começou com a prisão, na semana passada, de um traficante que é considerado o segundo homem na hierarquia do PCC no Vale do Paraíba, e que recebia drogas do Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.