Wagner Morente/GCM/Divulgação
Wagner Morente/GCM/Divulgação

Operação resgata 134 cães da raça lulu-da-pomerânia em situação de maus-tratos em Limeira

Cãezinhos estavam em um canil clandestino; muitos estavam acondicionados em gaiolas e sem alimentação adequada

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2022 | 10h23

SOROCABA - Uma operação da Polícia Civil e da Guarda Civil Municipal resgatou 134 cães de raça em situação de maus-tratos, em Limeira, interior paulista, nesta quarta-feira, 13. Os cãezinhos, em sua maioria da raça spitz-alemão, também conhecida como lulu-da-pomerânia, estavam em um canil clandestino que funcionava em um condomínio fechado.

Conforme o delegado Leonardo de Oliveira Luiz, titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), a operação foi desencadeada após denúncias de moradores vizinhos à Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura, devido ao mau cheiro e à abundância de moscas. Também foram enviadas fotos do local.

Segundo ele, a equipe da Polícia Civil, apoiada pelo Pelotão Ambiental da GCM, encontrou os animais espalhados por vários cômodos da residência. Muitos estavam acondicionados em gaiolas e sem alimentação adequada. Foram encontrados também medicamentos veterinários sem receituário e com prazo de validade vencido.

O casal que mantinha o canil foi detido ao chegar ao local, quando a operação estava em andamento. Nos depoimentos, eles negaram os maus-tratos, porém, segundo o delegado, vão responder por crime ambiental, já que laudos técnicos do Centro de Zoonoses atestaram as más condições de higiene, acomodação e alimentação dos cães.

Cinco ONGs de Limeira e cidades da região foram acionadas para acolher os animais. Segundo a presidente da Associação Limeirense de Proteção aos Animais (Alpa), Cassiana Fagotti, os cães estão passando por avaliação veterinária. As entidades de proteção animal vão pedir à justiça para se tornarem depositárias dos cãezinhos.

A defesa do casal informou que ainda toma conhecimento das denúncias e vai se manifestar oportunamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.