Operação-padrão da PF causa poucos transtornos

Sindicato alegou em SP que objetivo não era criar filas nos aeroportos, mas alertar sobre a situação da categoria

CAMILA BRUNELLI , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

20 Abril 2012 | 03h03

A operação-padrão deflagrada ontem por agentes da Polícia Federal nos principais aeroportos do País não afetou o cotidiano de quem ia viajar para o exterior. O movimento no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, por exemplo, foi tranquilo durante todo o dia e não houve atrasos de voos ou grandes filas. Terminais regionais também não tiveram problemas.

O Sindicato dos Servidores Públicos Civis Federais do Estado de São Paulo (Sindipolf-SP) alegou que o objetivo da paralisação era alertar sobre a situação da categoria. "Para nós é ótimo que não haja transtorno para o passageiro", explicou o presidente, Alexandre Sally, que não descartou novas operações.

Por volta das 17h, formou-se a única aglomeração do dia em Guarulhos, perto do embarque, que durou pouco mais de uma hora - o necessário para irritar alguns passageiros, como o psicanalista Antonio Santos, de 67 anos, que ia para Milão com a mulher, uma filha e o genro. "A única polícia em que nós confiamos é a PF e eles estão queimando a boa imagem que têm."

Em outros Estados também houve poucos transtornos. No Sul, os sindicalistas optaram por distribuir panfletos. No Rio, só foram mais afetados clientes de dois voos, um da Air France para Paris e outro da Gol para Buenos Aires, ambos por volta das 16 horas. Cada passageiro precisou esperar aproximadamente 40 minutos na fila. / COLABORARAM FÁBIO GRELLET, ELDER OGLIARI e EVANDRO FADEL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.