Operação contra tráfico de drogas prende 13 em 6 Estados

Entre os presos está Juan Carlos Ramirez-Abadia, acusado de ser um dos líderes do tráfico internacional

Solange Spigliatti, estadao.com.br

07 de agosto de 2007 | 10h36

Pelo menos 13 pessoas, entre elas o maior traficante de drogas da Colômbia, já foram presas na manhã desta terça-feira, 07, durante a Operação Farrapos, da Polícia federal, que tem o objetivo de desarticular uma organização internacional dedicada ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Após dois anos e meio de investigações, policiais federais vão cumprir 17 mandados de prisão e 28 ordens de busca e apreensão nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Segundo a PF, o esquema criminoso em que traficantes colombianos transportavam grande quantidade de entorpecente para a Europa e EUA, cujo lucro retornava ao Brasil, saindo da Espanha e do México, transitando ainda pelo Uruguai.  O ciclo da lavagem de dinheiro era completado pela organização, aproveitando-se de investimentos no ramo imobiliário (hotéis e mansões), industrial e na aquisição de veículos.  O traficante colombiano Juan Carlos Ramirez-Abadia, de 44 anos, era chefe do Cartel de Drogas Vale do Norte e um dos mais procurados do mundo pela agência antidrogas dos EUA. Ele foi preso em um condomínio fechado no município de Aldeia da Serra, na grande São Paulo. Abadia é suspeito de ser o mandante de centenas de homicídios na Colômbia e EUA, dentre eles, policiais e informantes.  Outras seis pessoas foram presas no Rio Grande do Sul. Os mandados de prisão foram cumpridos em Porto Alegre e Guaíba. Até o momento já foram apreendidos 4 veículos, 9 armas, e 4 cofres foram lacrados.  Os presos no RS, entre eles um piloto de aviação comercial, são suspeitos de dar suporte à quadrilha na lavagem do dinheiro adquirido com o tráfico e serão indiciados, além do crime financeiro, por associação para o tráfico de drogas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.