Operação contra motoristas alcoolizados prende 4 em SP

Outras quatro pessoas foram multadas por dirigirem com teor alcoólico acima do permitido

Andressa Zanandrea, Jornal da Tarde

27 de junho de 2008 | 03h07

Quatro motoristas foram flagrados no bafômetro com índices acima de 0,3 miligramas de álcool por litro de ar expelido e foram levados à delegacia, durante blitz do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, entre a noite de quinta-feira, 26, e a madrugada desta sexta-feira, 27, na região central da Cidade. Outros quatro motoristas tiveram níveis entre 0,1 e 0,3 miligramas e foram multados em R$ 957,70. No total, 108 pessoas foram abordadas e revistadas, das quais 69 motoristas.    Bafômetros descartáveis contra motoristas bêbados Os bloqueios foram montados por 60 policiais militares em cinco pontos: nas ruas Caio Prado, Aurora, Mauá, Andradas e na Praça da República. Além de verificar se os motoristas haviam ingerido bebidas alcoólicas, os policiais fiscalizaram também documentos e outras irregularidades nos veículos.  Durante a blitz, os policiais lavraram 26 infrações, além das de embriaguez, como CNH e licenciamento vencido ou problemas na parte de iluminação dos carros.   Dois carros foram guinchados e levados para um depósito. Segundo o responsável pela coordenação da fiscalização, tenente Sérgio Marques, do 34º Batalhão, foram casos em que, além do limite de álcool acima do permitido, havia mais alguma outra infração, como documento vencido há mais de 30 dias.  Três CNHs e três documentos de carros foram apreendidos. Dois dos motoristas que foram flagrados com níveis acima de 0,3 miligramas de álcool foram encaminhados aos 3º Distrito Policial, de Santa Ifigênia. Outros dois, levados ao 4º DP, da Consolação, onde as ocorrências seriam registradas pelos delegados de plantão. Um dos detidos, de acordo com o tenente, se negou a fazer o teste do bafômetro, mas foi autuado da mesma forma, como previsto na nova lei. Uma das motoristas abordadas na Praça da República, em uma Ranger prata, por volta das 2 horas, foi a 2º sargento da Polícia Militar Márcia dos Santos, de 45 anos. Ela estava de folga, havia saído de um bar e aprovou as blitze. Márcia passou pelo bafômetro e foi considerada apta a dirigir. "As abordagens são muito importantes também para a minha segurança. A essa hora, tem muita gente na rua que já tomou algumas. Muitos acidentes têm matado as pessoas e a maior parte é causada pelo álcool."    A Operação Direção Segura terminou por volta das 3h30, deve continuar a ocorrer na Cidade e se intensificar no fim de semana. Outras blitze estão programadas até domingo, em vários pontos, não só na região central. Os bloqueios devem ser realizados sempre entre as noites de quinta-feira e domingo.      Nova Lei  Pela nova lei, quem for pego pelo bafômetro com uma margem entre 0,0 e 0,09 mg de álcool/litro de ar expelido, não é considerado infrator e acaba liberado. De 0,1 a 0,29 mg, paga-se uma multa de R$ 957,20 e corre o risco de ter a carteira de habilitação suspensa de 12 a 24 meses; acima de 0,3 mg, além de pagar a multa e correr o risco de perder a habilitação, o infrator é levado para a delegacia, responde criminalmente, podendo pegar uma pena que varia de 6 meses a 3 anos; e só é liberado para responder em liberdade após pagar uma fiança de R$ 300 a R$ 1.200. (Colaborou José Luiz Dacauaziliquá e Ricardo Valota, do estadao.com.br)

Tudo o que sabemos sobre:
álcooldireçãotrânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.