Operação anticaos aéreo recomenda check-in online

Governo, empresas aéreas e concessionárias anunciam veto ao overbooking, frota reserva ampliada e mais fiscalização a partir desta sexta-feira, 13

Anne Warth / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2013 | 02h02

O governo federal e as empresas aéreas anunciaram ontem uma operação especial para minimizar problemas nos principais aeroportos do País durante as festas de fim de ano e as férias. Entre as medidas previstas estão a recomendação de antecipação do check-in, pela internet ou pelo celular, aumento do número de aeronaves reservas por companhia, proibição do overbooking e maior efetivo de agentes para fiscalização.

"Aproveitem a tecnologia. É uma sugestão das companhias aéreas apoiada pelas autoridades aeroportuárias. Nós engrossamos esse apelo para que os passageiros procurem, sempre que possível, usar a tecnologia e antecipar o check-in", afirmou o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco.

Obras de reforma e ampliação reduziram temporariamente o espaço para embarque e despacho de bagagens, disse Adalberto Febeliano, consultor técnico da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). "Precisamos que os passageiros aproveitem os meios remotos e cheguem ao aeroporto com o check-in já feito e com mais antecedência", afirmou.

A operação especial começa hoje, vai durar 30 dias e é realizada em 12 aeroportos de São Paulo, Campinas, Rio, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Fortaleza e Recife. As medidas envolvem órgãos públicos, empresas aéreas e concessionárias dos aeroportos privatizados - Guarulhos, Campinas e Brasília.

Movimento. Em dezembro do ano passado, passaram pelos aeroportos 16,4 milhões de passageiros, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e, para este ano, a previsão é de 200 mil a mais.

O diretor-presidente da Anac, Marcelo Guaranys, disse que as empresas se comprometeram a não vender mais assentos do que os existentes. "O problema é o overbooking malfeito ou mal calibrado. Como nessa época do ano os voos estão cheios, não se pode trabalhar com essa margem."

Mas, se uma aeronave de 180 lugares tiver problemas técnicos e for substituída por uma de 150, usuários serão realocados. As companhias, no entanto, prometem trabalhar com 15 aviões reservas - eram dez no ano passado. Além disso, garantem ter antecipado a manutenção e dizem que vão reforçar a tripulação e ampliar a quantidade de funcionários em solo.

Fiscalização. A Anac vai intensificar a fiscalização com 315 funcionários e reitera que é dever das empresas informar os passageiros sobre atrasos e cancelamentos. Em caso de atraso de 1 hora, o passageiro tem direito a fazer uma ligação telefônica ou usar a internet gratuitamente. Acima de 2h, deve ser oferecida alimentação adequada. Caso o atraso seja superior a 4h, deve ser oferecida pela companhia aérea acomodação.

O passageiro que se sentir prejudicado deve procurar a empresa para reclamar. Em seguida, pode relatar a queixa à Anac, aos órgãos de defesa do consumidor e à Justiça. O telefone da Anac é 0800-725-4445.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.