Opção é deixar o veículo na garagem ou dar carona

Mesmo com as dificuldades no transporte público, há quem abra mão do transporte individual. O funcionário público Diogo Araújo, por exemplo, deixa o carro em casa e pega ônibus e metrô. "As tarifas estão caras pelo que oferecem, mas sai mais em conta do que ir de carro. E é um jeito de fazer minha parte."

, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

Já a analista Palloma Castanheira dá carona a dois colegas de trabalho do Banco Santander. "Dividimos gasolina e estacionamento e levo uma hora. De transporte público, pegaria ônibus, metrô e fretado - levaria duas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.