Onze pessoas vão parar em pronto-socorro após tumulto no Metrô

Confusão foi na área de transferência entre as Estações Consolação, da Linha 2-Verde, e Paulista, da Linha 4-Amarela; segundo a concessionária ViaQuatro, alguém gritou que uma pessoa estava armada

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

11 Janeiro 2013 | 12h07

Atualizada às 12h44

SÃO PAULO - Onze pessoas tiveram que ser encaminhadas na manhã desta sexta-feira, 11, para o pronto-socorro do Hospital das Clínicas, na zona oeste da capital, devido a um tumulto na área de transferência entre as Estações Consolação, da Linha 2-Verde, e Paulista, da Linha 4-Amarela. A confusão, segundo a concessionária ViaQuatro, responsável pela administração da Linha 4, teria sido provocada após alguém gritar que uma pessoa estava armada.  A veracidade dessa informação, no entanto, não foi confirmada. 

O incidente ocorreu por volta das 7h45, quando as duas estações estavam lotadas. A assistente financeira Mariana Bianchini, de 24 anos, estava no local no momento da correria. Ela subia a escada rolante que liga a Estação Paulista à Consolação e conta ter ouvido uma pessoa gritar, mas não conseguiu identificar o que foi dito. "Na hora, o pessoal começou a correr em minha direção, a voltar para Estação Paulista."

Ela diz ter sido empurrada e se machucado de leve em uma das catracas. "Um amigo meu perdeu celular. Algumas pessoas começaram a passar mal, a cair no chão. Vi mulheres chorando, também." Para ela, o corredor ligando as duas estações, com esteiras rolantes, é muito estreito para a grande quantidade de pessoas que circulam por ali.

"Quando eu saí da estação, uma faxineira falou que esse tipo de alarme falso acontece umas quatro vezes por dia", diz Mariana.

O número total de socorridos refere-se aos dois que foram atendidos pelo Metrô, na Estação Consolação, e aos nove socorridos pela ViaQuatro, na Estação Paulista.

A ViaQuatro informou que ninguém se feriu com gravidade. A operação da linha não foi afetada pelo tumulto.

Mais conteúdo sobre:
tumulto, metro, linha 4

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.