ONU adia lançamento de relatório pró-Lula

ONU adia lançamento de relatório pró-Lula

/ RIO

Alfredo Junqueira, O Estadao de S.Paulo

25 Março 2010 | 00h00

Um relatório do Programa para Assentamentos Humanos das Nações Unidas (UN-Habitat) sobre a cidade de São Paulo provocou crise entre a organização e a Prefeitura. Dados federais para demonstrar melhoria de condições de vida de moradores de favelas e elogios às gestões do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ex-prefeita Marta Suplicy (PT) desagradaram a administração Gilberto Kassab (DEM).

O imbróglio provocou o adiamento do lançamento do relatório São Paulo: Um Conto de Duas Cidades, que seria hoje, no Rio, no 5.º Fórum Urbano Mundial. Agora, a previsão é que o documento só seja oficialmente apresentado em junho, possivelmente após revisão. A publicação, porém, está disponível na internet.

A informação de que programas como o Bolsa Família contribuíram para diminuir abismos sociais entre moradores de favelas e pessoas que residem em imóveis regularizados foi um dos aspectos que desagradaram a gestão Kassab, segundo integrantes do Habitat.

A Prefeitura informa que encaminhou uma carta à ONU, antes do Fórum, alegando que havia uma série de dados incorretos. Em um dos trechos, a superintendente de Habitação da Prefeitura, Elisabete França, diz que o consultor responsável considera a política habitacional só na gestão Marta (2001-2004) e escreve que o texto "parece mais panfleto político partidário do que estudo técnico".

O texto faz elogios ao presidente Lula. Cita pesquisa da Fundação Getúlio Vargas sobre a redução da pobreza no País ? entre 2003 e 2006, o número de brasileiros pobres caiu de 28,1% para 21,6%. Até o ganho real de 46% do salário mínimo justifica a melhoria de vida em São Paulo.

Para o representante do escritório regional do Habitat, Alberto Paranhos, a Prefeitura tem razão de reclamar do texto. "Não quer dizer que a gente tem de pedir bênção, mas dar a oportunidade de a outra parte se manifestar", explicou. Atropelos para a realização do fórum teriam provocado essa falha.

Foram usados também dados de 2006 da Fundação Seade e de um questionário especial. / COLABOROU FELIPE WERNECK

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.