Ônibus saem com atraso em São Paulo após assembléia

Motoristas e cobradores discutiram aumento durante a madrugada e viagens atrasaram duas horas

Milton F.da Rocha Filho, da Agência Estado, e Ricardo Valota, do estadao.com.br,

30 de abril de 2008 | 07h07

Os  7,4 mil ônibus da frota paulistana demoraram duas horas nesta quarta-feira para trafegar na Capital devido a uma assembléia de motoristas e cobradores. Os trabalhadores se reuniram das 4h às 6h para discutir um aumento salarial de 11,5%. O atraso afetou  19 garagens. Alguns terminais têm movimento acima do normal. Segundo a SPTrans, ônibus intermunicipais e lotações rodaram normalmente e os veículos das linhas municipais foram para as ruas com o término das assembléias nas 19 garagens. Jorge Isao Hosogi, presidente do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, afirma que as assembléias têm como objetivo informar para a categoria sobre como estão as negociações salariais com os donos das empresas de ônibus.A data-base da categoria é dia 1º de maio e os motoristas e cobradores reivindicam reajuste de 5,5%, além de 5% de aumento real. A categoria já apresentou a lista de reivindicações, mas não recebeu a contraproposta. "Nós já havíamos marcado duas reuniões com as empresas, mas até agora não se reuniram com os trabalhadores. Estamos à véspera do Dia do Trabalho e da nossa data-base e precisamos dar um parecer para a categoria que representamos", disse Hosogi. Aos poucos, o movimento volta ao normal. Os trens do Metrô e da CPTM operam sem problema.  Cerca de 3 milhões de pessoas são transportados pelos ônibus em São Paulo, o que mostra a importância deste tipo de transporte na cidade.  

Tudo o que sabemos sobre:
ônibusSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.