Ônibus: Kassab dá mais R$ 60 mi em subsídios

A um mês do provável aumento da tarifa de ônibus em São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab transferiu mais R$ 60 milhões em subsídios aos empresários do transporte coletivo. O montante pago em compensações tarifárias que custeiam as gratuidades de idosos e estudantes já chega a R$ 600 milhões no ano. Em janeiro, porém, quando a passagem saltou de R$ 2,30 para R$ 2,70 após três anos congelada, Kassab afirmou que reduziria para R$ 360 milhões os subsídios, cujo pico de pagamentos, em 2009, atingiu R$ 780 milhões.

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2010 | 00h00

O novo aporte de R$ 60 milhões para pagar o custo do sistema de transporte coletivo foi remanejado de outros setores, como das reformas de unidades esportivas (R$ 1,6 milhão) e dos abrigos de ônibus (R$ 1 milhão). Apesar do aumento em subsídios, Kassab anunciou em outubro que a tarifa deve subir de R$ 2,70 para R$ 2,90 até o final de dezembro.

A Secretaria de Transportes informou que previa R$ 360 milhões em compensações tarifárias e R$ 200 milhões da concessão do sistema de bilhetagem eletrônica pelo governo estadual, que não ocorreu. Por isso foi necessária a suplementação que, segundo a pasta, saiu de obras que "não demandarão recursos agora" e não serão comprometidas. Subsídios, argumenta o governo, cobrem gratuidades a estudantes, deficientes e idosos.

Reajuste

7,4%

é o valor do reajuste da tarifa de ônibus que consta da proposta orçamentária de 2011. Essa alta vai ficar acima da inflação estimada pelos institutos de pesquisa para 2010. A meta do Banco Central é que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fique em 4,5%. O acumulado até agosto do IPC-Fipe foi de 3,45%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.