Ônibus é incendiado na Vila Jacuí, na zona leste de São Paulo

Segundo a polícia, ninguém ficou ferido e cobrador e passageiros não foram roubados; neste ano, 98 coletivos foram queimados

O Estado de S. Paulo

14 Novembro 2014 | 08h13

SÃO PAULO - Mais um ônibus foi incendiado na capital paulista. O último caso aconteceu na noite da quinta-feira, 13, na Avenida Laranja da China, na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, três pessoas foram responsáveis pelo ataque que destruiu o coletivo, mas não deixou feridos.

O ônibus foi abordado pelos criminosos por volta das 22h30. Eles teriam dado ordem para que todos os ocupantes saíssem do veículo, antes de jogar gasolina e atear fogo. A Polícia Militar não soube informar se estavam armados. Também não há informações sobre o motivo do ataque.

Ainda de acordo com a PM, não há registro de roubo contra o cobrador ou passageiros, e os três criminosos conseguiram fugir. O caso vai ser investigado pelo 63º Distrito Policial (Vila Jacuí).

De acordo com dados do sindicatos das empresas de ônibus (SPUrbanuss), 98 coletivos em circulação foram alvos de ataque incendiários até o início de novembro deste ano - contra 53, em todo o ano passado.

Segundo Almir Chiarato, diretor de operações da São Paulo Transporte (SPTrans), a zona norte de São Paulo é a mais atingida por incêndios, seguida justamente pela zona leste.

Um desses ataques, em outubro, resultou na morte do motorista John Carlos Brandão, de 42 anos, que teve 70% do corpo queimado. Em maio, um cobrador também sofreu queimaduras.

Há dez dias, motoristas e cobradores fizeram uma paralisação por cerca de duas horas na capital paulista, em protesto contra a violência. Todos os 29 terminais municipais foram fechados. Em resposta, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) anunciou a criação de uma comissão para combater ataques a ônibus, com maior presença da Polícia Militar, na prevenção de casos, e da Polícia Civil, em investigações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.