Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Ônibus batem e ferem 11 pessoas na Lapa

Segundo informações preliminares, um dos veículos teria perdido o freio, chocando-se na traseira do coletivo à frente

O Estado de S. Paulo

05 Março 2015 | 09h21

Atualizada às 16h18.

SÃO PAULO - A colisão de dois ônibus de linhas municipais deixou 11 pessoas feridas na manhã desta quinta-feira, 5, na Avenida Ermano Marchetti, na altura da Praça Doutor Pedro Corazza, na Lapa, na zona oeste da capital paulista. O Corpo de Bombeiros informou que duas das vítimas tiveram ferimentos "intermediários", como fratura na perna. As demais sofreram lesões leves.

Segundo a São Paulo Transporte (SPTrans), empresa da Prefeitura que gerencia o sistema de coletivos da capital paulista, o acidente ocorreu por volta das 8h10, no sentido centro do corredor de ônibus que passa pela avenida.

A empresa informou que o motorista do ônibus que fazia a linha 957T/10 (Cohab Taipas-Itaim Bibi) "perdeu o freio" do veículo, levando-o a bater no outro, que transitava no itinerário 9014/10 (Morro Grande-Terminal Lapa).

O primeiro veículo pertence à viação Santa Brígida. Já o segundo, à empresa de transportes Gato Preto. A SPTrans não soube informar se houve falha mecânica no freio do veículo que se chocou com o outro. A empresa alegou que somente a perícia poderá indicar o que levou ao acidente. O Corpo de Bombeiros enviou 11 viaturas para o local, já que houve vazamento de combustível na pista.

Trata-se da segunda ocorrência em que o freio do ônibus pode estar relacionado ao acidente em menos de duas semanas na capital paulista. No dia 24 de fevereiro, um coletivo da linha 874C/10 (Parque Continental-Metrô Trianon), da viação Gato Preto, perdeu o controle e bateu em 12 veículos na Avenida Paulista, indo parar no canteiro central da avenida. Naquela ocasião, também foram lançadas suspeitas sobre o sistema de breques do ônibus, que só parou depois de atingir o canteiro central da via. Ninguém ficou ferido.

Manutenção. Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss) informou que no caso dos dois acidentes, "as causas ainda estão sendo apuradas pela perícia". O texto ainda diz que os "ônibus das Viações Gato Preto e Santa Brígida foram fabricados em 2012 e estavam com a manutenção rigorosamente em dia". 

Além disso, segundo o SPUrbanuss, no "caso do ônibus da Viação Santa Brígida, por exemplo, a última manutenção ocorreu no dia 27 de janeiro passado". O sindicato patronal das empresas de ônibus, que gerenciam cerca de 8 mil dos 15 mil ônibus da cidade, informou ainda que 70% dos acidentes envolvendo coletivos "não são de responsabilidade dos operadores e, sim, ocorreram por causas divergentes, sendo a maioria delas a imprudência de terceiros". 

Todos os semestres, "todos os motoristas das empresas concessionárias passam, obrigatoriamente, por treinamento intensivo em sala de aula e prático", recebendo noções de direção defensiva, primeiros socorros e "urbanidade".

Mais conteúdo sobre:
SPTrans Avenida Ermano Marchetti Lapa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.