Ônibus atropela e mata idoso no centro

Acidente no Parque D. Pedro aconteceu quando veículo invadiu a calçada

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2010 | 00h00

Um homem de 79 anos morreu, duas pessoas ficaram feridas e outras duas em estado de choque em um acidente de ônibus às 9h30 de ontem, no Parque Dom Pedro II, entre as Ruas 25 de Março e General Carneiro, no centro. Plínio Margutti aguardava no ponto quando o veículo que fazia a linha São Bernardo do Campo - Terminal Rodoviário Tietê bateu em outro ônibus e invadiu a calçada. As outras vítimas passam bem.

Margutti foi levado no helicóptero da Polícia Militar para o Hospital das Clínicas, mas não resistiu. Sua mulher, Iraci Margutti, de 74 anos, que sofreu ferimentos leves, foi levada para o Pronto-Socorro Vergueiro, assim como o motorista do ônibus, Elias Catarino, de 44 anos. Até a noite de ontem, o quadro dos dois pacientes era estável. A previsão era de que permaneceriam internados pelo menos até hoje.

Já a passageira Evanice Gonçalves, de 35 anos, e a fiscal da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) Silvana Silva entraram em pânico e foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Evanice estava ontem em observação no Pronto-Socorro João 23. Silvana foi levada para uma Assistência Médica Ambulatorial (AMA).

Silvana é responsável por fiscalizar os horários de paradas dos ônibus no ponto do Parque Dom Pedro II, próximo da Praça Fernando Costa. Tinha acabado de deixar a guarita para ir ao banheiro quando aconteceu o acidente. Ao voltar, encontrou uma multidão em volta da sua cabine destruída e entrou em choque.

Freio. O ônibus metropolitano de placa BTB-4185 vinha do Viaduto Diário Popular em direção à Rua 25 de Março e teria perdido o freio na descida. Chocou-se com um outro ônibus metropolitano, que estava parado, e subiu na calçada, de acordo com testemunhas, "para não atingir as barracas da praça na frente". Quem passava pelo local também afirma que o veículo não trafegava em alta velocidade.

O designer Luiz Pessoa, que mora em São Bernardo do Campo e pega a linha diariamente, presenciou a batida. "O problema é que o transporte é precário. Sempre aguardo mais de uma hora no ponto porque o ônibus quebra e demora para chegar." Motorista de ônibus aposentado, Rochamar Pereira diz que os veículos estão velhos, com mais de dez anos de uso. "Por isso vivem dando problema."

Em nota, a EMTU afirma que o ônibus envolvido no acidente passou por inspeção em setembro e estava apto a trafegar. "A frota da Viação Imigrantes tem idade média de 12 anos", diz o comunicado. Procurado, o dono da empresa não foi encontrado para comentar o assunto.

A EMTU afirma, ainda, que vai apurar as causas do acidente com as autoridades policiais. O caso está sob investigação no 1.º Distrito Policial de São Paulo (Liberdade), no centro, e o motorista pode responder por lesão corporal e homicídio culposo.

Tráfego. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) interditou o local entre 9h30 e 11 horas, aproximadamente. Duas horas depois, os dois ônibus envolvidos na batida foram retirados por um guincho e levados para as garagens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.