Onda de frio mata sete pessoas em São Paulo

Todos os casos são de moradores de rua que tiveram complicações de saúde provocadas pela baixa temperatura registrada nesta semana

THIAGO MATTOS, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2013 | 02h11

O frio matou sete moradores de rua na capital nesta semana, segundo a Prefeitura de São Paulo. Os laudos do Instituto Médico-Legal (IML) devem ficar prontos em 30 dias, mas há fortes indícios de que as baixas temperaturas que atingiram a cidade nos últimos dias causaram as mortes. Todos os casos ainda são investigados.

Duas pessoas morreram ontem em decorrência do frio. O corpo de um homem com idade desconhecida foi encontrado em um estacionamento de um estabelecimento comercial na Avenida Bosque da Saúde, na Vila Mariana, zona sul. De acordo com vizinhos, ele morava no local. A segunda vítima era um homem que foi encontrado já morte pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na Rua dos Gráficos, na Penha, zona leste.

Na noite de anteontem, foram mais quatro mortes associadas às baixas temperaturas. O corpo de um homem aparentando cerca de 50 anos foi achado caído em uma calçada na Liberdade, região central.

A quarta vítima foi Luis Carlos Palegio Correia, de 58 anos, encontrado morto na calçada de uma lanchonete, em Cidade Tiradentes, zona leste. Ele vivia na rua há alguns anos, segundo familiares. Um comerciante informou que, ao chegar ao local por volta das 6 horas, encontrou o homem morto.

No mesmo dia, mais duas mortes foram registradas na Vila Maria, zona norte. Segundo relatos, uma das vítimas era morador da Favela Funerária e havia alguns dias dormia na rua. A outra era um idoso de 67 anos, encontrado morto na Avenida Ernesto Augusto Lopes pela manhã de quinta-feira.

Na quarta-feira, um homem de cerca de 35 anos foi encontrado morto, enrolado a um cobertor e sem sinais de violência, na rampa de acesso do Terminal Dom Pedro II, no centro.

Outro caso divulgado pelo IML, mas não confirmado pela Prefeitura, aconteceu na quarta. Um homem foi levado pelo Samu ao Hospital Pedreira, zona sul. Lá, chegou se queixando de frio e fome, teve uma parada cardiorrespiratória e morreu.

A Prefeitura informou que tem feito rondas pela cidade e, desde quarta-feira, foram acolhidos 11 mil moradores de rua.

Sem chuva. As temperaturas vão continuar baixas nos próximos dias e não há previsão de chuva, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). "O clima agora deve ser mais parecido com o inverno típico, com frio na madrugada e clima mais ameno à tarde", disse o meteorologista Marcelo Schneider, do Inmet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.