Divulgação
Divulgação

Onça - que já não se vê - é eleita o bicho de SP

16 mil internautas votaram na suçuarana em concurso promovido pela Prefeitura

Mônica Pestana, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2010 | 00h00

Suçuarana seria uma cobra? Um tipo de aranha? Ou uma planta exótica? O animal silvestre escolhido como símbolo da cidade de São Paulo no concurso realizado pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente é um desconhecido para grande parte dos paulistanos. Mesmo no anonimato, a suçuarana, ou onça-parda, desbancou 15 candidatos ao cargo de representante da capital e venceu com cerca de 16 mil votos de eleitores - de um total de 84 mil.

A Prefeitura pegou carona na escolha da ONU, que elegeu 2010 o Ano Internacional da Biodiversidade, para promover o concurso. Em segundo lugar, ficou o bem-te-vi, seguido pelo sabiá-laranjeira.

Para a diretora da Divisão da Fauna Silvestre da Secretaria, Vilma Clarice Geraldi, o animal combina com a cidade. "Lembra por causa da persistência, além da força para a sobrevivência. Apesar de toda devastação, ele ainda está aqui", diz. Ela afirma que o concurso serviu para chamar a atenção para a necessidade de conservação. "Nós usaremos esse animal como bandeira, mas a intenção é alertar para a necessidade de preservação das espécies", diz.

A suçuarana é o maior felino registrado atualmente em São Paulo e pode chegar a pesar 120 quilos e medir de 86 a 154 cm. O animal possui hábitos solitários e noturnos. A onça se alimenta principalmente de mamíferos de médio porte, como quatis, catetos, tatus e capivaras.

O felino foi encontrado em duas áreas da zona sul da capital, na Fazenda Capivari e no Parque Estadual da Serra do Mar, por técnicos da Divisão de Fauna. Fora da capital, é achado na Amazônia, no Pantanal, no cerrado, na caatinga e nos pampas do Sul.

Segundo Vilma, o animal está ameaçado por causa da perda de seu hábitat. No entanto, ela diz que é possível encontrá-lo nos locais onde a vegetação ainda não foi devastada. "Temos de aprender mais sobre a espécie e precisamos de mais equipamentos para identificá-la."

Último colocado. O animal menos votado no concurso foi o lagarto conhecido como papa-vento, o único réptil da seleção. Ele pesa em média 30 gramas. "Colocamos no concurso por ser um bicho da Mata Atlântica, além de ser um animal carismático", afirma o diretor do Museu Biológico do Instituto Butantã, Giuseppe Puorto. O lagarto recebeu, no total, 1.448 votos.

Os eleitores tiveram quatro meses para entrar no site da Prefeitura e votar. Dos 700 animais registrados pela Divisão de Fauna, os 15 foram selecionados por professores e pesquisadores do Museu de Zoologia, do Instituto de Biociências, do Instituto Butantã, da ONG Salve-Brasil e do Centro de Estudos Ornitológicos. Alguns animais foram escolhidos por apresentar semelhanças com a cidade. Como o joão-de-barro, conhecido como trabalhador, e o picapau-de-banda-branca, que tem as cores da bandeira da capital: branco, vermelho e preto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.