Oliver Stone é barrado em Cumbica

Sem visto, cineasta americano e equipe não puderam participar de evento na Faap; hoje ele tem encontro marcado com Lula

Marilia Neustein e Sonia Racy, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2010 | 00h00

O cineasta americano Oliver Stone, de 63 anos, e sua equipe foram barrados ontem, no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, ao chegar de Los Angeles, nos Estados Unidos. Sem ter o visto brasileiro, eles esperaram cerca de 2h30 para poder entrar no País e o cineasta não chegou a tempo da pré-estreia de seu filme, Ao Sul da Fronteira, em que ele retrata presidentes sul-americanos - Hugo Chávez, da Venezuela, é a "estrela".

Avisado da situação, o produtor Luiz Carlos Barreto, que tem os direitos do filme no Brasil, ligou para o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, que acionou o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, que teria contatado a Polícia Federal. De posse de uma lista de nomes fornecida pelo produtor, a Polícia Federal teria contornado a situação para liberar todos.

A delegacia da Polícia Federal em Cumbica recebeu um fax da direção da PF em Brasília com a ordem de conceder o desembarque condicional, por oito dias, ao cineasta e sua equipe.

Oliver Stone tinha dois eventos programados para ontem em São Paulo, ambos na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap): a exibição do filme e uma coletiva de imprensa. A coletiva estava marcada para as 17 horas, passou para as 17h45 e foi cancelada. A exibição do filme, inicialmente marcada para as 19h30,começou às 22 horas. No local, havia aproximadamente 300 pessoas, entre elas famosos, como o ex-ministro José Dirceu.

Por volta das 21h30, a Assessoria de Imprensa do evento avisou que Stone e equipe tinham tido um problema na chegada, "com atrasos e documentação irregular". Eles também teriam tido problemas para liberar equipamentos de filmagem que estavam no avião fretado.

Hoje, às 6h30, Stone deveria embarcar para Brasília para encontrar com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, e, à tarde, seguiria para Cochabamba, na Bolívia - não estava confirmado se ele iria se encontrar com o presidente do país, Evo Morales. Os organizadores do evento na Faap estão tentando reorganizar a agenda de Stone na América do Sul, para que o cineasta volte amanhã para cumprir os compromissos.

Legislação. De acordo com informações do Itamaraty, o governo brasileiro pode autorizar o ingresso no País de qualquer estrangeiro - mesmo que não tenha o exigido visto de ingresso no Brasil, caso de Stone e equipe.

Reciprocamente, Brasil e Estados Unidos exigem vistos para ingresso em seus territórios. Por meio de um instituto chamado pela diplomacia de "desembarque condicional", com validade máxima de oito dias, o governo brasileiro pode autorizar, em caráter excepcional, o ingresso sem visto do estrangeiro.

Em regra, o caminho para a concessão de tal benefício começa com um pedido da embaixada estrangeira ao Itamaraty que, por sua vez, comunica ao posto de fronteira. Em alguns casos, o ministro da Justiça pode autorizar o desembarque do estrangeiro, fazendo chegar a ordem ministerial à Polícia Federal responsável pelo controle de alfândega. / COLABORARAM LUIZ CARLOS MERTEN e RUI NOGUEIRA

QUEM É

OLIVER STONE

CINEASTA AMERICANO

O nome do diretor de 63 anos significa sucesso. Ele é ganhador de mais de 30 prêmios, entre eles, três Oscar. Sua predileção por documentários de líderes considerados inimigos dos Estados Unidos, entretanto, tem provocado boicotes a seus longas e dificultado a distribuição e divulgação naquele país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.