Oito são detidos durante protesto na Avenida Paulista, em São Paulo

Cerca de 500 pessoas se reuniram no vão livre do Masp contra a decisão da Justiça que proibiu a realização da Marcha da Maconha

Priscila Trindade, do estadao.com.br,

21 Maio 2011 | 17h14

Atualizada às 22h04

 

Oito pessoas foram detidas durante um protesto na Avenida Paulista, na tarde deste sábado, 21, a favor da liberdade de expressão em São Paulo. Eles foram levados para o 78º Distrito Policial. Por volta de 22h deste sábado, contudo, um policial do DP disse ao estadão.com.br que não havia mais ninguém preso no local.

 

Polícia usa bombas de gás e balas de borracha. Foto: Daniel Teixeira/AE

 

Veja também

video TV Estadão: Proibida pela Justiça, marcha da maconha termina com 8 presos

 

Aproximadamente 500 pessoas se reuniram no vão livre do Masp, na Avenida Paulista, às 14 horas, contra a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que proibiu a realização da Marcha da Maconha, marcada para este sábado. A decisão da 2ª Câmara de Direito Criminal foi motivada por uma ação do Ministério Público Estadual, que enxerga no movimento o crime de indução ou instigação ao uso de drogas.

 

A manifestação fechou o tráfego na Avenida Paulista entre 15 e 15h25, na altura da Rua Peixoto Gomide, segundo informou a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Depois, o grupo seguiu pela Rua da Consolação.

 

Cerca de 500 pessoas se reuniram no vão livre do Masp. Foto: Daniel Teixeira

 

Durante o ato, um grupo de cerca de 20 pessoas contrárias à legalização da maconha chegou ao local. Para dispersar os manifestantes, a Polícia Militar usou bombas de gás lacrimogêneo. Por volta das 15h30, o protesto terminou.

Mais conteúdo sobre:
Av. PaulistamaconhaprotestoPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.