Oito peritos da PF apuram responsabilidades por acidente

A Polícia Federal (PF) informou nesta quarta-feira, 18, que o inquérito nº 1-062/2007-SR/PF/SP, instaurado para investigar o acidente com o Airbus A-320 da TAM, no Aeroporto de Congonhas será conduzido pelo delegado Frederico Guinsburg Saldanha e contará com oito peritos Criminais Federais, especialistas nas áreas de engenharia de solo e asfalto e identificação humana. Segundo o texto, "a investigação terá por objetivo definir, por meio de perícia técnica especializada, a condição e qualidade da pista de pouso e decolagem liberada para uso de aeronaves no citado aeródromo, bem como identificar eventual responsabilidade de agentes públicos, ou de particulares, sobre a possível liberação da pista em obras sem o cumprimento dos requisitos técnicos necessário". Veja a íntegra da nota:NOTA À IMPRENSABRASÍLIA/DF - A Polícia Federal instaurou nesta quarta-feira o Inquérito Policial nº 1-062/2007-SR/PF/SP, destinado a apurar os fatos relacionados com o acidente envolvendo a aeronave Airbus A-320 da TAM, Vôo JJ 3054, procedente de Porto Alegre (RS), que explodiu após frustrada aterrissagem no Aeroporto de Congonhas, São Paulo, na noite de 17/07.A referida investigação terá por objetivo definir, por meio de perícia técnica especializada, a condição e qualidade da pista de pouso e decolagem liberada para uso de aeronaves no citado aeródromo, bem como identificar eventual responsabilidade de agentes públicos, ou de particulares, sobre a possível liberação da pista em obras sem o cumprimento dos requisitos técnicos necessários.O Inquérito Policial será conduzido pelo Delegado de Polícia Federal Frederico Guinsburg Saldanha, e terá a participação de oito Peritos Criminais Federais, especialistas nas áreas de engenharia de solo e asfalto, bem como identificação humana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.