Oito mortos, entre eles dois PMs, em mais uma noite de violência em SP

Quatro das mortes ocorreram em confrontos entre suspeitos e a PM

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

01 de novembro de 2012 | 06h22

SÃO PAULO - Em mais uma noite violenta, oito pessoas foram mortas e duas feridas a tiros na Região Metropolitana de São Paulo em um espaço de seis horas. Entre os mortos, há dois policiais militares atacados na Favela Heliópolis, na zona sul de São Paulo. Quatro das mortes, segundo a polícia, ocorreram em confrontos entre suspeitos e a Polícia Militar.

 

Dois policiais militares da Força Tática do 46º Batalhão foram mortos a tiros no final da noite de quarta-feira, 31, no interior da Favela Heliópolis, na zona sul de São Paulo. Com essas duas mortes, sobe para 88 o número de policiais militares mortos somente neste ano no Estado de São Paulo.

 

O soldado Antonio Paulo da Rocha, que atuava nas Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam), e o cabo Ailton Borges dos Santos, ambos à paisana, foram baleados na esquina da Rua Paraíba com a Rua Alegria, quando trafegavam em duas motos às 23h30.

 

Ao chegar no local, a PM encontrou apenas a moto de Antonio e os dois policiais caídos e baleados. A Yamaha 660 cc XT preta, pertencente ao soldado Antonio, foi roubada pelos atiradores e abandonada na esquina entre as avenidas Goiás e Guido Aliberti, em São Caetano do Sul. As armas dos policiais e outros objetos das vítimas foram levados segundo a Polícia Civil.

 

Mesmo encaminhados para o pronto-socorro do mesmo bairro, os dois PMs não resistiram e morreram. A polícia não soube informar mais detalhes sobre o ataque sofrido pelos policiais nem o que eles faziam na favela naquele momento. Não se sabe ainda se as vítimas foram abordadas por assaltantes ou se os criminosos aproveitam o ataque aos policiais e aproveitaram para fugir com a moto de um deles e as armas de ambos. O caso foi registrado no 26º Distrito Policial, do Sacomã, e será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Dos 88 policiais militares mortos até agora, 18 eram aposentados e 70 estavam na ativa. Entre os PMs que ainda trabalhavam na corporação, 24 morreram ao reagirem a assalto, 39 foram mortos com indícios de execução, três foram baleados durante confronto com suspeitos em horário de serviço; e os demais morreram em outras circunstâncias.

 

Um homem, identificado como Alex Marques do Vale, de 30 anos, foi assassinado, por volta das 22 horas de quarta-feira, 31, na Rua Saint-Pierre, na Favela São José IV, no Parque São Paulo, região do Grajaú, na zona sul da capital. A vítima ainda foi levada por testemunhas para o pronto-socorro do Grajaú, mas morreu. Policiais militares da 3ª Companhia do 50º Batalhão foram acionados pelo hospital assim que Marques deu entrada com ferimento a tiros. As circunstâncias do crime ainda não foram informadas pela polícia. O caso foi registrado no 101º Distrito Policial, do Jardim das Embuias.

 

O vigilante noturno José Ferreira de Almeida, de 48 anos, foi morto com vários tiros no começo da madrugada desta quinta-feira no bairro do Campo Grande, região de Santo Amaro, zona sul de São Paulo. Acionados por testemunhas, policiais militares foram até o local e encontraram a vítima baleada nas costas dentro de um Fusca azul. Mesmo levado para o pronto-socorro Pedreira, Almeida não resistiu e morreu. Segundo o que a polícia apurou até o momento, os pelo menos cinco tiros que atingiram o vigilante foram disparados por dois desconhecidos numa moto amarela. Nenhum suspeito foi encontrado até o momento. O caso foi registrado no 11º Distrito Policial, de Santo Amaro.

 

Um pouco depois das 22 horas, dois jovens, ambos com passagem pela polícia, segundo a PM, foram baleados por dois desconhecidos uma moto na altura do nº 129 da Rua Canindé, no Pari, região centro-leste da cidade. Segundo testemunha, Lucas Cruz Pereira, de 20 anos, e um colega dele, de prenome Caio, estavam sentados em frente a uma mercearia, que naquele momento já havia sido fechada, quando foram surpreendidas pelos dois homens na moto.

 

Um deles utilizava capacete, já o outro, um capuz. Armado com uma pistola, o garupa desceu do veículo e foi até os jovens, atirando contra ambos. Testemunhas levaram as vítimas para o pronto-socorro Santana. De lá, ambas foram transferidas para o pronto-socorro do Mandaqui e, segundo a Polícia Civil, não correm risco de vida. O caso foi registrado no 8º Distrito Policial, do Brás/Belém.

 

Confrontos. Quatro suspeitos foram mortos em supostos confrontos com a Polícia Militar na zona leste da capital paulista e em Osasco e Embu das Artes, na Grande São Paulo.

 

Por volta das 21h30 de quarta-feira, dois homens que ocupavam um veículo da JAC Motors roubado foram abordados por policiais militares na Avenida Marginal do Ribeirão, em Carapicuíba, e se negaram a parar o carro. A perseguição se estendeu até a Avenida Benedito Alves Turíbio, próximo da Rua Santiago Rodilha, no Jardim Veloso, em Osasco, cidade vizinha, onde o veículo perseguido bateu contra outros carros que passavam na mesma avenida.

 

Segundo a PM, os dois suspeitos, impossibilitados de continuar a fuga, desceram do automóvel roubado e atiraram contra os policiais, que revidaram. Um dos suspeitos fugiu, o outro, ainda não identificado, de aproximadamente 30 anos, foi baleado e morreu no pronto-socorro do Jardim Santo Antonio. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Osasco.

 

Na mesma noite, três homens suspeitos de assaltarem uma sorveteria foram abordados em um Fiat Doblò cinza e perseguidos por policiais militares da 2ª Companhia do 36º Batalhão em Embu das Artes. O confronto ocorreu na Avenida Augusto Almeida Batista, no Jardim São Marcos, onde dois dos criminosos fugiram. O terceiro foi baleado e morreu no pronto-socorro da região.

 

Já por volta das 4 horas desta manhã de quinta-feira, 1, um grupo tentou arrombar os caixas eletrônicos instalados dentro da agência do Santander localizada na Praça Aleixo Monteiro Mafra, conhecida como "Praça do Forró", em São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo. Os bandidos, segundo a PM, haviam feito um buraco na parede do banco para terem acesso às máquinas.

 

Acionados, policiais militares da 2ª Companhia do 29º Batalhão chegaram rapidamente no local. Numa suposta troca de tiros, dois dos bandidos foram baleados e morreram no pronto-socorro do Hospital Tide Setubal. Os demais fugiram. A polícia não informou ainda quantos eram os criminosos. O caso seria registrado no 63º Distrito Policial, da Vila Jacuí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.