Oficiais de Justiça verificam se 80% da frota do ABC está em circulação

Decisão judicial determinou que grevistas deveriam manter pelo menos 80% da frota em circulação

Priscila Trindade, Estadão.com.br

02 de junho de 2011 | 12h00

SÃO PAULO - A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTUSP) informou que oficiais de Justiça vistoriam os terminais metropolitanos para verificar o cumprimento da determinação de manter 80% da frota em circulação no ABC paulista. A categoria está em greve por reajuste salarial.

 

Veja também:

link Sindicalistas decidem manter greve da CPTM até assembleia no fim do dia

link Greve da CPTM é ampliada para todas as linhas; ônibus seguem parados no ABC

link Integração na Estação Pinheiros do Metrô é adiada por greve na CPTM

 

A EMTU conseguiu ontem a liminar que obriga a circulação de pelo menos 80% da frota de 850 ônibus, em 130 linhas, que atendem os passageiros em toda a região. A multa diária para o descumprimento da decisão é de R$ 200 mil.

 

Das 19 empresas que atuam no ABC, quatro operam normalmente, uma de forma parcial e 14 estão totalmente paralisadas. No Corredor Metropolitano ABD (São Mateus Jabaquara) dos cerca de 200 ônibus programados no horário de pico, 90 atenderam à população.

 

Na região do ABC operam 130 linhas com aproximadamente 850 ônibus. O movimento grevista afetou aproximadamente 200 mil dos 550 mil passageiros na quarta-feira, 1º.

 

Os trabalhadores querem 15% de aumento nos salários, mas as companhias oferecem 8%. Uma reunião de conciliação será realizada as 14 horas de hoje, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

 

Policiamento. O Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPAM/6), da Polícia Militar, disse que reforçou a segurança nas estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) no ABC paulista para evitar tumultos em razão da greve deflagrada pelos funcionários da companhia. O CPAM/6 é responsável pelas cidades da região. Não há informação se a Polícia Militar reforçou o policiamento na capital.

 

A greve dos ferroviários afeta todas as 89 estações de trens em São Paulo. Cerca de 2,4 milhões de usuários estão sendo prejudicados pela paralisação nas seis linhas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.