Obras não têm data para começar

Dos R$ 80 milhões arrecadados para melhorias na região da Água Branca, apenas R$ 3,6 milhões foram utilizados, segundo a Emurb. O valor, afirma o órgão da Prefeitura, foi aplicado em obras de drenagem que vão terminar em agosto.

, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2010 | 00h00

As obras de melhorias no trânsito, porém, ainda não têm data para começar. A empresa diz que um pacote de 10 projetos está em licitação, com o valor de R$ 17,6 milhões, mas não existe data para o início da execução das intervenções.

Reivindicações antigas dos moradores, a ligação entre as Avenidas Francisco Matarazzo e Dr. Auro Soares de Moura Andrade e a extensão da Rua Dona Germaine Burchard estão incluídas no pacote.

"A Operação Água Branca está em fase de revisão para se adequar à legislação federal (Estatuto da Cidade)", informa a nota da Emurb. A Assessoria de Imprensa da empresa, porém, não explicou quais adequações precisam ser feitas. / D.Z.

PARA ENTENDER

Operações urbanas são ferramentas previstas no Plano Diretor que possibilitam ao incorporador construir além dos limites impostos pela legislação. Para isso, as construtoras adquirem títulos da Prefeitura (Cepacs), cujo valor deverá ser reutilizado em obras nos próprios bairros. O trâmite para que seja iniciada uma operação, segundo a Prefeitura, é de um ano e meio a partir do lançamento. Atualmente, há quatro em andamento na cidade (Centro, Água Branca, Faria Lima e Água Espraiada).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.