Obras, buracos e mato alto atrapalham viagem na Rio-Santos

Prefeituras do litoral norte montam esquema especial, criam desvios e até transferem festa para evitar congestionamentos

REGINALDO PUPO , ESPECIAL PARA O ESTADO , SÃO SEBASTIÃO, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2012 | 03h04

O turista que decidir passar o feriado prolongado no litoral norte de São Paulo vai encontrar na Rodovia Rio-Santos (SP-55), que cruza toda a região, algumas "armadilhas" durante o percurso, como trechos sem acostamento, pistas e obstáculos com sinalização apagada e placas encobertas pelo mato alto. O trecho mais problemático, sob jurisdição federal e responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), fica no norte de Ubatuba.

Quem percorre esse trecho, sentido Paraty (RJ), precisa desviar dos buracos e ficar atento à sinalização, pois muitas placas estão parcial ou totalmente encobertas pelo mato alto, que em alguns trechos chega a 2 metros de altura. É justamente ali que a Polícia Rodoviária Federal registra o maior número de acidentes com mortes.

A Rio-Santos também corta o trecho urbano dos municípios da região, principalmente São Sebastião. Ali, praticamente não há acostamento e o trânsito de ônibus e caminhões torna o fluxo moroso.

Transtornos. Durante o período de carnaval, as prefeituras montarão esquemas especiais. São Sebastião, por exemplo, vai realizar o Carnamar na Praia de São Francisco, que fica afastada da rodovia. Até 2011, a festa era na Praia do Arrastão, às margens da Rio-Santos, e causava congestionamentos de 10 quilômetros.

Para a Operação Carnaval, que se inicia hoje, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) estima que 532,5 mil veículos deverão circular pelas rodovias que dão acesso ao litoral norte (Tamoios, Mogi-Bertioga e Oswaldo Cruz) e pela Rio-Santos. Durante a Operação Descida será feito, sempre que necessário, um desvio na altura do km 215, para direcionar o fluxo de veículos que trafegam no sentido Bertioga-São Sebastião para o acesso à Praia do Indaiá (Bertioga), com retorno à rodovia no km 214. Essa ação será realizada quando o volume de tráfego superar a marca de 1,5 mil veículos.

Já entre o km 214 e o km 211, se houver necessidade, o órgão vai liberar o acostamento para desafogar o tráfego dos veículos que chegam à rodovia pela Mogi-Bertioga, com destino ao litoral norte ou Riviera de São Lourenço, em Bertioga. Durante o retorno, será liberado o acostamento entre o km 211 e km 214, se houver necessidade.

Erosão. Em Caraguatatuba, motoristas deverão redobrar os cuidados no trecho da Praia de Massaguaçu, sentido Ubatuba. No acostamento, o DER está realizando uma obra de contenção de erosão. Há máquinas no acostamento e até na areia da praia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.