Obra provoca transtornos

EXPANSÃO DA LINHA 5-LILÁS DO METRÔ

O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2012 | 02h04

Quero denunciar a falta de respeito com os moradores da região lindeira e não supervisionada das obras da Linha 5 - Lilás (lote 3) do Metrô. Tenho um pau-brasil plantado na calçada de minha casa que quase foi destruído por causa de uma manobra malfeita de um motorista descuidado. No desespero de sair logo do local, ele acabou também escalpelando um jasmim-manga. Tudo isso ocorreu num sábado, às 8h30. Temos de ficar acordados para tomar conta de nossas casas? Sugiro a instalação de uma guarita do Metrô, na esquina da Rua Rita Joana de Sousa com a Rua Princesa Isabel, pois eu não posso ficar vigiando a obra! Outros problemas: tráfego constante de caminhões de grande porte e em velocidade irregular e barulho de obra ininterrupto por três dias e três noites.

CRISTINA DE LUCA NATHAN / SÃO PAULO

O Metrô informa que as empresas contratadas responsáveis pela obra da expansão da Linha 5 entraram em contato com a leitora e tomaram as providências para solucionar os transtornos causados. Agrônomos dos consórcios Andrade Gutierrez-Camargo Corrêa e Metropolitano 5, após vistoriarem a árvore, decidiram por um tratamento antifúngico e a aplicação de curativos com faixas apropriadas e sustentação adequada.

A leitora relata: Realmente, a árvore teve a atenção merecida. Mas ainda persistem problemas como barulho de madrugada e tráfego de caminhões em ruas proibidas. No meu imóvel, há rachaduras que estão aumentando por causa do trepidar e chacoalhar da casa com o tráfego dos caminhões.

MORUMBI SHOPPING

Desrespeito à vaga de idoso

Frequento aos sábados o Morumbi Shopping e procuro estacionar em vaga para idosos. O problema é que às 10 horas essas vagas já estão quase todas tomadas e é raro os veículos portarem cartão de idoso no painel. Reclamei na cabine de cobrança e a atendente me disse que as vagas são sinalizadas e uma gravação alerta para a exclusividade, cabendo aos usuários respeitar. Acho que o shopping deve estudar uma maneira de inibir ou punir tais abusos.

CLÁUDIO RUGGIERO / BARUERI

O Morumbi Shopping reforça que continuará a envidar esforços para que os veículos conduzidos ou conduzindo pessoas idosas tenham acesso às vagas a eles reservadas.

O leitor comenta: Agradeço a atenção, mas o Morumbi Shopping apenas faz propaganda do que se dispõe a fazer e não das providências que vai tomar.

CASA DE EVENTOS PETRA

Barulho de madrugada

Em outubro reclamei do barulho provocado pela casa de eventos Petra, na Avenida Aratãs, n.º 1.010. Na época, o problema deu uma trégua, mas os transtornos e o barulho voltaram a incomodar. No dia 1.º/12, um sábado, desde as 2 horas, havia caminhões carregando e descarregando materiais e um monte de taxistas rindo alto. Chamei a polícia, mas não adiantou e tivemos de aguentar o barulho até as 8h30. Numa 4.ª-feira, o barulho começou às 23 horas.

CARLOS ALBERTO BALCARSE

/ SÃO PAULO

A Casa Petra informa que é dotada de sofisticado revestimento acústico, impedindo que o som produzido em seu interior venha a causar qualquer tipo de incômodo aos vizinhos. Para cada evento, há a necessidade de entrega e retirada de objetos, feitas por caminhões terceirizados contratados pelas pessoas que locam o espaço. Para minimizar o incômodo, possui estacionamento interno para eles. Sobre o horário de carga e descarga, tendo em vista tratar-se de caminhões com restrição de circulação na cidade de São Paulo, o serviço só pode ser feito a partir das 22 horas. O ruído produzido não ultrapassa os limites previstos em legislação para as zonas mistas, como é o caso.

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa, por meio do Programa de Silêncio Urbano (Psiu), que um agente foi ao local no último fim de semana a fim de orientar os responsáveis sobre as reclamações e a legislação. Caso o problema persista, o proprietário será multado. A Subprefeitura Vila Mariana informa que o local possui alvará de funcionamento e se encontra regular.

O leitor reclama: Foi mais um sábado com som alto, provando que a acústica da casa é ineficiente. Às 6h25 do domingo, vários caminhões estavam prontos para desmontar o cenário. Vi em outro bar, à tarde, onde alguns corintianos comemoravam, a polícia vir, fazendo com que desligassem o som. Aqui, às vezes a polícia não vem e quando vem não pode fazer nada. Em nosso país as leis não são iguais para todos?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.