WERTHER SANTANA / ESTADÃO
WERTHER SANTANA / ESTADÃO

Obra polêmica no Paraíba do Sul terá início

Transposição para o Sistema Cantareira será contratada dia 2; Alto Tietê receberá mais água a partir de quarta-feira

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

23 de setembro de 2015 | 22h04

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou nesta quarta-feira, 23, que a ordem de serviço para o início das obras de transposição da Bacia do Paraíba do Sul para o Sistema Cantareira será iniciada no dia 2. Além disso, a transposição de água do Reservatório Rio Grande, braço limpo da Represa Billings, para reforçar o Sistema Alto Tietê começará quarta.

A transposição foi anunciada por Alckmin em março de 2014. À época, o tucano disse que a licitação sairia em 120 dias e a obra, em 14 meses. A ideia provocou polêmica com o governo do Rio, que temia que a transposição prejudicasse o Paraíba do Sul, única fonte de abastecimento para 10 milhões de pessoas.

Um acordo entre os governos, incluindo também o de Minas e o federal, teve de ser fechado no Supremo Tribunal Federal (STF), depois das eleições, e o projeto de transposição entrou para a lista de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o que permitiu que a licitação fosse feita em Regime Diferenciado de Contratações (RDC) - mais rápido. Em março, porém, após uma reclamação de uma empresa, a licitação foi suspensa pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). 

A transposição prevê a transferência de 5,1 mil litros/s, em média, da Represa Jaguari, em Igaratá, para a Represa Atibainha, em Nazaré Paulista. Será usada uma adutora de 13,4 km. 

Além disso, a partir de quarta-feira, a Sabesp começará a bombear para o Alto Tietê, que abastece 4,5 milhões de habitantes, mais 4 mil litros/s da Billings. De R$ 500 milhões previstos, o preço final da obra passou para R$ 830 milhões. 

‘Modéstia’. Após anunciar os investimentos, Alckmin informou também que vai até Brasília para receber um prêmio por sua gestão na área de saneamento em recursos hídricos. “Acho que é, modéstia à parte, merecido”, disse, destacando ações como o bônus e a multa na conta de água para quem desperdiça. O tucano foi indicado pelo deputado estadual João Paulo Papa, também do PSDB. “Foi uma questão de reconhecimento a longo prazo”, disse o parlamentar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.