Obra no Morumbi está embargada

Em agosto de 2008, a Cia. City anunciou que pretendia construir sete torres residenciais em uma área de 97,4 mil m² do Colégio Nossa Senhora do Morumbi, no bairro da zona sul de São Paulo, para comemorar o seu centenário, no ano que vem. O projeto, porém, continua no papel - e foi parar na Justiça.

/ DENIZE GUEDES, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2011 | 09h31

Por ser previsto em um trecho de Mata Atlântica - e Zona Especial de Preservação Ambiental (Zepam), protegida por decreto estadual -, o empreendimento enfrenta duas ações civis públicas. Uma da Associação Morumbi Melhor e outra do Mistério Público, que paralisou o projeto por liminar, obtida em março de 2010. Ela impede o corte da vegetação e a execução da obra até decisão judicial.

Por meio de nota, a Cia. City informou que o projeto foi aprovado pela Prefeitura e que prevê o "plantio de 21.652 mudas de árvores", entre outras ações de preservação. Mas a contrapartida não é aceita pelos moradores. "A área é vítima da especulação imobiliária", diz Helena Caldeira, da associação.

No último dia 23, os moradores ainda entraram com um terceiro pedido de tombamento do local - o órgão municipal de preservação do patrimônio, Conpresp, já havia negado os dois primeiros. "O bairro e o colégio foram planejados pelo arquiteto Oswaldo Bratke (1907-1997)", conta Helena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.