Obra na Tamoios será suspensa dia 20

Após caos no feriado, governo decidiu paralisar a duplicação da rodovia durante as festas de fim de ano; trecho até Paraibuna será aberto dia 16

REGINALDO PUPO, ESPECIAL PARA O ESTADO, SÃO SEBASTIÃO, O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2013 | 02h03

As obras de duplicação da Rodovia dos Tamoios (SP-55), principal via de acesso ao litoral norte de São Paulo, serão suspensas a partir do dia 20 de dezembro, período em que o trânsito rumo aos quatro municípios da região começa a se intensificar por causa das festas de fim de ano e do início da temporada de verão. A suspensão deverá ocorrer até o dia 5 de janeiro. Durante o período, a região deverá receber 2,5 milhões de turistas.

Segundo o prefeito de Ilhabela, Antônio Luiz Colucci (PPS), a suspensão foi acertada durante reunião com o presidente da empresa de Desenvolvimento S.A. (Dersa), Lawrence Casagrande. "As obras vão ocorrer até o dia 20 de dezembro para liberação das faixas de rolamento. As obras complementares serão feitas sem prejuízo aos usuários da estrada", disse Colucci.

A duplicação da pista entre São José dos Campos, no Vale do Paraíba, e Paraibuna e os acessos às cidades de Jambeiro e Paraibuna estão previstos para serem entregues no próximo dia 16, segundo afirmou o governador Geraldo Alckmin (PSDB) nas três vezes em que esteve na região, inaugurando trechos das obras.

Na última delas, no dia 3, ele entregou o trecho que liga a Tamoios ao aeroporto da cidade de São José dos Campos.

O prefeito de Ubatuba, Maurício Moromizato (PT), chegou a cogitar a possibilidade de assinar um ofício, com apoio dos demais prefeitos, solicitando ao governo do Estado a paralisação das obras no período.

Caos. No último feriado prolongado de 15 de Novembro, motoristas levaram até 12 horas para chegar à região, pois a Dersa não suspendeu as obras, o que causou lentidão tanto na Tamoios quanto na Rodovia Oswaldo Cruz, que liga Taubaté a Ubatuba. Nesta rodovia, o caos se estabeleceu durante 48 horas. O congestionamento formou uma fila quádrupla, com motoristas descendo pelo acostamento e na contramão.

Para o prefeito de São Sebastião, Ernane Primazzi (PSC), a suspensão das obras "é uma medida preventiva e inevitável, já que neste período o tráfego de veículos é muito grande, causando transtornos aos turistas que se dirigem ao litoral norte".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.