JB Neto/AE
JB Neto/AE

Obra irregular faz imóvel desabar na Liberdade: pedestre morre soterrado

Fachada de antigo bar caiu sobre calçada da avenida; prédio estava em reforma para ser transformado em estacionamento

Edison Veiga - O Estado de S.Paulo,

28 de fevereiro de 2013 | 22h15

Uma obra irregular em um antigo bar e restaurante na Avenida Liberdade, região central de São Paulo, matou uma pessoa às 18h15 desta quinta-feira. A vítima era um pedestre que passava na frente do estabelecimento quando ocorreu o desmoronamento.

Até as 20h30, a vítima ainda não havia sido identificada. Só se sabia que era um homem de cerca de 50 anos. Os bombeiros ainda buscavam mais pessoas nos escombros. Um cão farejador era usado nas buscas.

Quando ocorreu o desabamento, cerca de dez pessoas pararam para ajudar, antes que os bombeiros chegassem para isolar o local. Alexandre Hage, de 24 anos, estudante de Direito da FMU, faculdade que fica na frente do local, afirmou que tentou encontrar vítimas, pois temia que algum colega estivesse nos escombros. "A fachada trincou e depois tudo caiu. Foi muito barulho", disse. Segundo ele, a Polícia Militar chegou primeiro e, cerca de dez minutos depois, vieram os bombeiros.

Pelo menos 19 viaturas e 46 homens do Corpo de Bombeiros participaram da operação. Às 20h30, ainda não havia previsão sobre o fim das buscas. A expectativa era de só parar quando não restasse nenhuma dúvida sobre mais vítimas.

De acordo com Jair Paca de Lima, coordenador da Defesa Civil, ainda existia risco de desabamento do restante do imóvel. O perigo, porém, não se estendia para as casas vizinhas.

Ampliação

O imóvel fica na esquina da Rua Condessa de São Joaquim. Estava fechado desde o ano passado e passava por uma grande obra de ampliação. De acordo com Camões Salazar, proprietário do posto de gasolina que fica na frente do local, o imóvel havia sido adquirido pelo estacionamento vizinho. A intenção era ampliar o espaço destinado aos veículos. "Estavam construindo um subsolo para comportar mais carros", conta Salazar.

De acordo com o site De Olho na Obra, da Prefeitura de São Paulo, não existe alvará para intervenções no local. O responsável pela obra não compareceu até as 20h30 de ontem para prestar esclarecimentos.

Por causa do acidente, uma parte da Avenida Liberdade foi fechada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e havia muitos curiosos no local. A interdição deveria durar pelo menos até a manhã desta sexta-feira.

Susto

A secretária Adriana Ferreira, de 32 anos, que trabalha na frente da lanchonete, contou que a reforma começou no mês passado. "Eles desativaram e começaram a reforma em janeiro. Mas foi na segunda-feira que colocaram o tapume para fechar a obra", comenta. Ela diz que o desabamento a assustou. "Eu até me espantei, mas não foi o suficiente para todo mundo sair correndo imediatamente."

O antigo bar era uma construção alta, com subsolo, térreo e uma espécie de mezanino. O estabelecimento funcionava ali desde 1951, de acordo com informações da Junta Comercial.

Pessoas que trabalham na vizinhança contam que a aparência do imóvel era assustadora. "Estava com uns andaimes na frente, mas as paredes estavam muito velhas mesmo. Dava medo. Quando passava na frente, descia da calçada para não passar muito perto", diz Rode Maria, de 38 anos, gerente de uma lanchonete na mesma calçada onde a obra desabou. O Estado não conseguiu localizar a assessoria de imprensa da Subprefeitura da Sé na noite desta quinta-feira. / COLABORARAM ARTUR RODRIGUES, JULIANA DEODORO E VALÉRIA FRANÇA

Tudo o que sabemos sobre:
Desabamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.