Obra do shopping SP Market desaba e fere 4 operários

Segundo o Corpo de Bombeiros, as vítimas sofreram escoriações, já foram socorridas e não há soterrados

Daniela do Canto, do estadao.com.br,

24 de outubro de 2009 | 13h57

Quatro operários ficaram feridos no desabamento de uma área em obras do shopping SP Market no início da tarde deste sábado, 24, na Avenida das Nações Unidas, zona sul de São Paulo.

 

Após o desabamento, houve divergência em relação ao número de feridos. Inicialmente o Corpo de Bombeiros informou que haveria cinco feridos, mas o SP Market afirmou que seriam quatro. Já o secretário municipal de Controle Urbano, Orlando Almeida Filho, que está no local, disse que o número seria de três feridos.

 

Os engenheiros responsáveis pela obra já fizeram mais de uma vez a contagem de pessoal e constataram que não há operários desaparecidos.

 

O Corpo de Bombeiros afirma que não há pessoas soterradas. Mesmo assim, por precaução, cães farejadores da Polícia Militar fazem uma varredura nos escombros para não deixar dúvidas de que não há mais vítimas.

 

O desabamento será registrado na Delegacia de Proteção ao Cidadão. Quinze viaturas foram enviadas ao local às 13h18, quando os bombeiros foram acionados.

 

 

Parte da obra que desabou no shopping SP Market. Foto: Marcio Fernandes/AE

 

A Construtora MPD Engenharia, responsável pelas obras de expansão do shopping SP Market, informou que o acidente foi causado pelo desprendimento de uma peça do andaime da forma da laje externa.

 

O problema ficou restrito à área da obra, que fica ao lado do prédio do shopping, localizado na Avenida das Nações Unidas, zona sul de São Paulo. Tanto que as atividades comerciais do shopping transcorrem normalmente.

 

A obra foi interditada pelo Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) e só poderá ser liberada depois de um parecer da Polícia Científica. (Com Yolanda Fordelone, da Agência Estado e Fernanda Brambilla, do Jornal da Tarde)

 

 

 

 Texto ampliado às 16h17

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.