André Lessa/AE
André Lessa/AE

Obra de exposição no Parque Buenos Aires tem fios cortados

Frequentadora de área verde no centro não aprovou instalação; proposta da mostra é a de intervenção do público

ELVIS PEREIRA, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2011 | 03h04

Aos 73 anos, a artista plástica Nair Kremer não imaginou que causaria mais polêmica. Mas os fios de lã e algodão espalhados por ela na obra Sopros, em árvores do Parque Buenos Aires, em Higienópolis, região central, foram cortados na tarde de ontem.

A obra não agradou a uma frequentadora - não identificada até a noite de ontem. Ela já havia expressado descontentamento e pedido para intervir. Como a ideia da artista era propor a participação do público, a solicitação foi aceita. "Minha expectativa era de que houvesse uma intervenção afetiva", lamentou Nair.

Para o artista plástico Dácio Bicudo, curador da exposição Ocupação Oxigênio 2011 - Intervenções e Ações de Arte em Parques Públicos, da qual a obra faz parte, foi falta de educação. "Ela falou que estava interagindo, mas cortou tudo. Achei uma agressão gratuita."

Um dos vigilantes do parque viu a ação da frequentadora, mas não a impediu por acreditar que ela trabalhasse com a autora da obra. "Fazemos essa exposição há três anos no local. É o tipo de coisa que não dá para entender", disse Bicudo, cuja obra enfrentou resistência e foi alvo de chutes recentemente.

Iniciada no dia 18, a exposição reúne obras de diversos artistas. A previsão é de que se estenda até o próximo domingo - com a Sopros recomposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.