Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Obra da Linha 6 do Metrô começa ainda em julho, diz Alckmin

Ramal ligará a Vila Brasilândia, na zona norte, à região central da capital paulista; dois tatuzões escavarão o túnel

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

04 Julho 2014 | 08h52

SÃO PAULO - As obras de construção da Linha 6-Laranja finalmente têm data para começar: ainda neste mês. É o que afirmou nessa quinta-feira, 3, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), durante coletiva na entrega do trecho leste do Rodoanel, no penúltimo dia disponível ao tucano para participar de solenidades de inaugurações de obras públicas, em virtude da lei eleitoral. O ramal metroviário terá 15,3 km de extensão entre a Vila Brasilândia, na zona norte da capital paulista, e a Estação São Joaquim, na Linha 1-Azul, na região central.

De acordo com o tucano, a Prefeitura de São Paulo entregou ontem uma área para o governo do Estado que será usado como ponto de entrada das grandes escavadeiras que construirão a linha. “A Prefeitura nos disponibilizou um terreno na esquina da Marginal do Tietê, lá no Limão, com a Rua Santa Marina. Lá vão entrar os dois tatuzões, os dois shields.”

Alckmin afirmou que um tatuzão vai no sentido da Vila Brasilândia e outro vem para o centro. “Na realidade, a Linha 6 já começou, porque as desapropriações todas estão curso, já está montando canteiro de obras, o contrato assinado... É que até pôr a máquina na pista você tem uma série de obras”, disse.

O primeiro trecho da Linha 6, a primeira construída e operada por meio de uma parceria público-privada, tem promessa de abrir em 2018. O consórcio Move São Paulo, formado por Odebrecht, Queiroz Galvão, UTC Participações e Fundo Eco Realty. O ramal só estará completo dois anos depois e custará R$ 9,6 bilhões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.