Obra da Linha 4 do Metrô causa interdição na Rua dos Pinheiros

Rua está interditada entre a Mourato Coelho e a Mateus Grow; CET faz desvios alternativos aos motoristas

Milton F. da Rocha Filho, da Agência Estado, e Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

08 de agosto de 2007 | 07h54

A retomada das obras da Linha 4-Amarela do Metrô causou um pequeno afundamento da Rua dos Pinheiros, na tarde de terça-feira, 7, o que causou a interdição de um trecho da rua por medida de segurança. Segundo informações do Metrô, por volta das 18 horas a rua foi interditada após um trecho de cerca de 100 metros, entre as ruas Morato Coelho e Mateus Grow, ter um pequena movimentação do solo. O recalque, ou movimentação da terra, foi ocasionada pelo reinício dos trabalhos da máquina Shield, mais conhecida como Tatuzão. Ao dar início à remoção das terras no subterrâneo da rua, houve uma movimentação do solo, causando um pequeno deslocamento na rua.  Após a colocação dos anéis de sustentação, o terreno voltou a ficar estável, mas como medida de segurança, a rua foi interditada. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a interdição vai continuar até o fim da tarde desta quarta-feira, 8. Nenhum assessor do Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras da Linha 4, foi encontrado para confirmar as informações. Apesar disso, a interdição teria sido feita por conta de um pedido do Via Amarela, segundo a CET, que montou desvios para os motoristas que precisam passar pela região. Como alternativa, o motorista que segue pela Rua dos Pinheiros pode pegar a Rua Mourato Coelho, à direita na Rua Arthur de Azevedo (utilizando a faixa reversível montada pela CET), e seguir à direita na Rua Mateus Grow para retornar à Rua dos Pinheiros. Os motoristas também poderão optar por seguir pelas ruas Mourato Coelho, Teodoro Sampaio e à direita pela Joaquim Antunes, retornando à Rua dos Pinheiros. Texto ampliado às 8h57 para acréscimo de informações. 

Tudo o que sabemos sobre:
obras do MetrôLinha 4-Amarela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.