Objetos de Clodovil Hernandes serão leiloados em SP

Entre os itens de destaque está uma gravata de brilhantes, por a partir de R$ 11 mil; há ainda imóveis e obras de arte

Valéria França - O Estado de S. Paulo, texto atualizado às 22h10

10 Abril 2012 | 16h25

SÃO PAULO - Só agora, três anos depois de sua morte, a Justiça liberou parte do espólio de Clodovil Hernandes. Estilista famoso, apresentador de TV polêmico e terceiro deputado federal mais votado de São Paulo em 2006, ele também era conhecido por ser um homem excêntrico e com gosto apurado para a arte e a decoração. Nesta quinta-feira, 12, 156 objetos, entre joias, móveis e obras de arte, serão leiloados na Casa 8, nos Jardins, zona sul de São Paulo.

Os leiloeiros estimam em R$ 200 mil o valor que será arrecadado, destinado para a manutenção dos bens de Clodovil. Terá lance mínimo apenas o grupo de peças que passaram pela avaliação de um perito judicial, caso das joias e itens pequenos de uso pessoal, como um relicário de metal e um isqueiro. São aproximadamente 30 objetos, com valores variados. Um dos mais caros é a gravata borboleta de ouro branco cravejada com 1.095 brilhantes, com preço inicial de R$ 11 mil. Entre os itens mais acessíveis está o lote com um alfinete de gravata e um par de abotoaduras com pedras de âmbar, avaliado em R$ 60.

As peças foram retiradas do apartamento funcional onde Clodovil morava em Brasília - seu último endereço - e de seu gabinete. São objetos que trazem à tona histórias públicas, como seu desentendimento com a senadora Marta Suplicy (PT), que foi sua colega na época da TV Mulher, nos anos 1980. Clodovil deu o nome de Marta a uma escultura de cobra em bronze, que está no leilão. A peça, de 72 cm de altura, servia de pé para a mesa de vidro onde ele despachava.

Do gabinete há ainda o sofá branco bordado com o Brasão da República. Clodovil gastou R$ 200 mil na decoração do lugar.

Intimidade. Muitas peças revelam hábitos que só os amigos mais próximos conheciam. Há, por exemplo, um piano inglês de cauda, que ficava na sala de visitas do apartamento de Brasília. "Como ele não sabia tocar, contratava um pianista nos dias que costumava dar jantares aos amigos, normalmente às terças e quartas", diz a advogada Maria Hebe Pereira de Queiroz, amiga e inventariante dos bens de Clodovil. "Ele adorava cozinhar."

Na sua mesa de jantar, o que dava o tom era a prataria - bandeja, talheres e aparelhos de chá e de café - que também serão leiloados. "Quando abri o apartamento, encontrei no cofre uma camisa de smoking. Estava dentro de um plástico. Só depois de abrir a embalagem é que percebi que os botões eram de brilhantes", diz Maria Hebe. Feitos de ródio, os botões são cravejados com 21 brilhantes. Seu lance mínimo é de R$ 840. Outro destaque é um espelho desenhado por Clodovil, de 1,50 m, feito especialmente para o apartamento.

Não é preciso estar presente para participar do leilão. Segundo a organização, é possível fazer lances por telefone. É só avisar antes os lotes de interesse e a Casa 8 entra em contato. "Também é possível dar lances por e-mail", diz Gustavo Barbosa, um dos envolvidos na organização do leilão. "Mas isso tem de ser feito com antecedência."

Para mais informações acesse o site: http://www.casa8leiloes.com.br/

Datas e Horários:

Exposição: Até dia 11/04/12, das 10h às 20h

Leilão: Dia 12/04/12, às 21h.

Mais conteúdo sobre:
leilão Clodovil Hernandes

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.