O transporte público ou o privado está causando o caos?

Investimento sinaliza que ônibus continuarão ruins

Análise: Horário Figueira, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 00h00

A política de investimentos em obras no sistema viário para atender só ao transporte individual sinaliza que os ônibus continuarão ruins e que a saída é comprar um veículo para fugir do rodízio.

A aplicação de cerca de R$ 148 milhões em um único túnel, enquanto 34,93% das rotas de ônibus transitam a menos de 15 km/h (fonte: CET-2008), mostra que o fato de os ônibus não andarem não incomoda a Prefeitura.

Uma pista com três faixas na Sena Madureira registra 450 automóveis parados com cerca de 630 pessoas em 1 km de extensão. Quando anda, atende a até 1.500 pessoas/hora por faixa. Ao lado, no "corredor Ibirapuera", mais de 150 ônibus/hora, transportando mais de 10 mil pessoas/hora, se arrastam a menos de 7 km/h no pico da tarde em uma faixa. E nada é feito, quando a operação em duas faixas nos picos resolveria.

A implantação de uma ligação expressa entre duas vias já congestionadas não resolverá o problema de mobilidade. Mais perguntas: os ônibus circularão no túnel e terão tratamento prioritário? Ou teremos mais um grande estacionamento coberto com os carros parados e motores ligados nos horários de pico?

É CONSULTOR DE TRÂNSITO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.