Ocupe & Abrace/Divulgação
Ocupe & Abrace/Divulgação

O resgate da praça Homero Silva

Moradores dão uma lição de cidadania ao se apropriar do maior espaço verde da Pompeia

Gustavo Zucchi, O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2015 | 16h49

Quem não conhece o histórico da praça Homero Silva e a vê animada e cheia de adultos e crianças, quase todos os dias, tem dificuldade de imaginar que há poucos anos aquelas pessoas todas dificilmente estariam se divertindo por ali. Durante um bom tempo o lugar existiu como ponto de drogas repleto de mato e lixo. O ponto de virada foi em abril 2013, quando o coletivo Ocupe & Abrace, formado por moradores da Pompeia, começou a revitalizar o espaço. Surgia assim a praça da Nascente, com apelido e atmosfera completamente novos.

Uma das idealizadoras dessa iniciativa, a artista Roberta Francisca Soares conta que quando a plataforma online Cidade Democrática lançou um projeto chamado "A Pompeia que se quer", o Ocupe & Abrace nasceu para promover a limpeza da praça, implementar uma horta, pintar as escadas e os bancos.

Antes, a Homero Silva vivia uma situação de abandono, resultado de 15 anos de esquecimento por parte do poder público. "O que eles têm feito para ajudar a gente é manter as lixeiras limpas", diz Roberta. Dois anos depois da primeira movimentação dos moradores, as verbas para manutenção começam a voltar e a prefeitura promete uma reforma ainda mais consistente no futuro. "O dinheiro tinha sumido dentro da gestão pública e agora retornou." 

A reformulação da Homero e Silva foi o primeiro plano do coletivo Ocupe & Abrace que saiu do papel. As ações do grupo, porém, não devem parar por aí. Durante os trabalhos, foram encontradas as nascentes do riacho da Água Preta, um dos córregos que marcam a região da Pompeia. "Nossa ideia é a criação de um parque linear, que acompanhe o percurso do córrego, abrindo-o em alguns trechos. O parque começaria na Praça da Nascente e terminaria "desaguando" no Sesc Pompeia. É utópico, mas bem bacana", diz Roberta.

Atividades. Renovada, a praça da Nascente faz parte do cotidiano dos moradores da Pompeia, que de fato se apropriaram do espaço e fazem bom proveito dele todos os dias. Em cartaz por ali, a exposição Cerrado Infinito, idealizada por Daniel Caballero, exibe plantas típicas do cerrado.

Para marcar cada uma das estações do ano, há um festival de cultura. O próximo, agendado para o dia 30 de agosto, deve reunir artistas do bairro. "Tiramos dinheiro do nosso bolso para fazer", afirma Roberta.  A festa está no roteiro oficial da próxima Virada Sustentável de São Paulo, que tem início no dia 26. 

Quem quiser participar do coletivo, e ajudar não apenas na praça da Nascente, mas também em outros projetos do grupo, pode encontrar mais informações no Facebook do Ocupe & Abrace. 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.