Estadão
Estadão

O que fazer no Jardim Europa

Restaurantes bacanas, ruas temáticas e passeios culturais em um dos metros quadrados mais valorizados do Brasil

O Estado de S. Paulo

05 de outubro de 2015 | 19h44

Delimitado entre as avenidas Brigadeiro Faria Lima e 9 de julho, mais a Rua Groelândia e a Alameda Gabriel Monteiro da Silva, o Jardim Europa foi o primeiro bairro do Brasil a receber um shopping center, o Iguatemi. Seu IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é de 0,957, considerado muito elevado - para ter uma ideia, o IDH médio do Brasil é de 0,75 - e o metro quadrado dos imóveis está na faixa dos R$ 15 mil.  

Habitado principalmente por moradores de classe alta, o Jardim Europa é também a casa de alguns dos principais museus da cidade, como o MuBE, o MIS, a Fundação Ema Klabin e o Museu da Casa Brasileira. Nas ruas, o comércio é de luxo, com móveis e design na Gabriel Monteiro da Silva e lojas de automóveis importados na Avenida Europa. Veja a seguir algumas das principais atrações da região.

Comes e Bebes

Pertinho do Jardim Paulista, do Itaim e de Pinheiros, o Jardim Europa tem uma localização privilegiada não só para morar, mas para comer e beber bem. Dali é um pulo para beber um café no Santo Grão da Jerônimo da Veiga ou tomar um chá na The Gourmet Tea (R. Dr. Mario Ferraz, 213). Dentre os restaurantes há desde os badalados endereços da Rua Amauri, como o Trindade ou o Parigi, do grupo Fasano, até algumas novidades. Danielle Dahoui, por exemplo, moradora do bairro, abriu recentemente uma unidade do Ruella (R. Dr. Mario Ferraz, 37), bem pertinho do L'Entrecôte d'Olivier, que ocupa o número 17 da mesma rua. O Bolinha (Av. Cidade Jardim, 53) e sua tradicional feijoada e o Chez MIS (Avenida Europa, 158), dentro do MIS, reforçam as sugestões.

Para beber, papepar e paquerar, sobressaem os bares Wall Street (R. Jerônimo da Veiga, 149), em que o preço das bebidas muda conforme o número de pedidos, simulando uma bolsa de valores, e Skull (R. Amauri, 224). Colado ao restaurante Ecco, tem shows de pop rock e decoração temática de crânios e caveiras. Já o The Sailor Pub (Av. Brigadeiro Faria Lima, 2776) durante a semana tenta contrapor os preços salgados do cardápio regular oferecendo algumas promoções, sobretudo na happy hour. Para saber das ofertas do dia, a recomendação é ligar antes de sair de casa. 

Passeios culturais

Fundação Cultural Ema Gordon Klabin (R. Portugal, 43): projetada no fim da década de 20 pelo arquiteto Alfredo Ernesto Becker, a casa foi feita sob medida para Ema Klabin, herdeira de Hessel Klabin, empresário no ramo de papel e celulose. O prédio foi adaptado nos anos 60 para receber a coleção de arte de Ema. Com cerca de 900 metros quadrados, reúne obras europeias e americanas, além de peças de mobiliário antigo. Promove também exposições, cursos e palestras. Às sextas, a entrada é grátis e a visita não precisa ser agendada. Nos outros dias, o passeio custa R$ 10,00.

Galeria Thomas Cohn (Av. Europa, 641): expõe atualmente joias e relógios com viés artístico. Pertence aos artistas Thomas Cohn e Myriam Tenenbaum Cohn, que inauguraram o espaço na década de 70, expondo artes plásticas. 

Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) (Av. Europa, 218): em seu acervo, além das esculturas, há pinturas, fotografias, grafites, desenhos, músicas e filmes. Destacam-se os jardins projetados por Burle Marx.

Museu da Casa Brasileira (Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705): ocupa a antiga residência do ex-prefeito de São Paulo, Fábio da Silva Prado, erguida na década de 1940. Oficialmente inaugurado em 29 de maio de 1970, o museu tem em seu acervo móveis, alfaias religiosas e objetos decorativos de importância histórica e artística, produzidos no Brasil e no exterior entre os séculos XVII e XX.

Museu da Imagem e Som (MIS) (Av. Europa, 158): perto do MuBE, tem se destacado pelas exposições que atraem público numeroso como as do cineasta Stanley Kubrick, do músico David Bowie e do programa infantil da TV Cultura, Castelo Rá-tim-bum. Inaugurado em 1970, seu acervo permanente conta com filmes, fotos, cartazes entre outras peças de áudio, visuais e audiovisuais.

Paróquia São José do Jardim Europa (R. Dinamarca, 32): a quase centenária igreja teve a pedra fundamental lançada no dia 19 de março de 1929 e foi inaugurada em 19 de março de 1930. Apesar das inúmeras reformas, mantém o estilo da congregação à qual pertence e que fica na Itália. A igreja abre às 7h para a primeira missa do dia.

Compras

Além do Shopping Iguatemi (Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232) e seu mix de lojas e restaurantes ao mesmo tempo bastante sofisticado e popular, a Avenida Europa e a Gabriel Monteiro da Silva são duas ruas temáticas do bairro. Na primeira, ficam as revendedoras de automóveis de marcas de luxo, como Ferrari, Maserati, Lotus, Pagani, Land Rover e Bentley. Não é difícil encontrar modelos acima de R$ 1 milhão. Na Gabriel, a referência são as lojas de grife de decoração e coisas para a casa. Inaugurado em 28 de novembro de 1966, a rigor o Iguatemi é o primeiro shopping center do Brasil. Reúne hoje algumas das principais grifes do mundo, a exemplo da joalheria Tiffany & Co. Tem lugar cativo, também, a varejista popular C&A. Ao todo são 330 lojas e vários restaurantes de salões superconcorridos, como o Le Jazz e o Ritz.

Tudo o que sabemos sobre:
BairrosSPJardim EuropaO que fazer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.