'O prejuízo não pode, em nenhum caso, recair sobre o consumidor'

Para Renan Ferraciolli, assessor-chefe do Procon São Paulo, os shoppings sempre têm responsabilidade por objetos furtados de dentro de veículos. "A partir do momento em que se oferece um serviço, ele fica obrigado a ressarcir pelos danos que vierem a acontecer ao veículo ou a objetos no interior. O prejuízo não pode recair sobre o consumidor."

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2012 | 03h05

Alguns locais têm uma placa em que dizem que não se responsabilizam por objetos deixados dentro dos veículos. Como fica?

Isso é letra morta. É uma cláusula excludente de responsabilidade que é abusiva e nula.

E no caso de estabelecimento que não cobra garagem?

É remunerado de forma indireta, pelos produtos que o consumidor adquiriu.

Como a vítima deve proceder?

Deve procurar imediatamente a administração do local, relatar o ocorrido, deixar o veículo da forma que encontrou, para que fique caracterizado que houve violação. /A.R. e W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.