O preço do apoio

A aprovação da alta do IPTU em São Paulo não vai sair de graça para os vereadores que aceitaram enfrentar seus redutos eleitorais ao apoiar Haddad. Nos últimos dias, parte dos parlamentares que votaram a favor do aumento passou pelo gabinete do prefeito para negociar possíveis cargos e, principalmente, obras para "compensar" seus eleitores. A lista de pedidos inclui participação em metas do governo, como a criação da Rede Hora Certa. Os vereadores querem escolher os bairros onde os futuros ambulatórios serão instalados. Sem enviar representante direto à Câmara ontem, a resposta do governo continua a mesma: Haddad não negocia cargos em troca de apoio. Confia na fidelidade da base aliada e defende o aumento para financiar o transporte público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.