O paciente zero do vírus da paz

Estudos preliminares sobre o tal "vírus da paz", do qual Lula declarou-se portador inaugural, indicam que o presidente pode não tê-lo adquirido, como chegou a supor em Israel, no útero materno. Cientistas de todo o mundo reunidos em assembleia extraordinária para examinar que diabos é isso não descartam a possibilidade de a coisa ser sexualmente transmissível. O que, cá pra nós, tornaria o contágio nada agradável no caso dos parceiros que todo mundo desejaria contaminar.

, O Estadao de S.Paulo

17 Março 2010 | 00h00

O certo é que ninguém pega o vírus da paz que nem o da gripe e, se os pesquisadores não descobrirem logo como compartilhar com a humanidade essa febre de Justiça do Lula, logo vão inventar uma vacina contra a pandemia da boa convivência no Oriente Médio.

É preciso agir rápido e, sussurram as entrelinhas do noticiário, Israel quer porque quer que Mahmoud Ahmadinejad seja a primeira vítima do presidente brasileiro. Se o vírus da paz inocular o líder iraniano, tanto melhor. Caso contrário, bem-feito!

Testemunho médico

"Que jogador defutebol não anda escoltado por traficantes armados quando volta às suas raízes?"

Dr. José Luiz Runco, desta vez em defesa de Vagner Love

Estratégia errada

Se quer mesmo mobilizar o carioca em torno das mudanças nas regras de partilha dos royalties do petróleo, o governo do Rio deveria colocar sob risco a realização do carnaval em 2011. Dizer agora que não vai haver Olimpíada em 2016, francamente, até tira um peso das costas de muita gente boa na cidade.

Pavimento zero

Quem viu Edson Lobão noite dessas em cadeia nacional de TV logo percebeu: o ministro trocou a tintura de asfalto que usa no cabelo. Está experimentando agora um piche americano originalmente desenvolvido para as pistas da Fórmula Indy.

O poeta merece!

Depois do touro que dia desses amanheceu cobrindo as vaquinhas da Cow Parade, em São Paulo, adeptos da chamada arte pública no Brasil já preparam nova intervenção urbana do gênero, desta vez no Rio: providenciam uma namorada para a estátua do Carlos Drummond de Andrade, no calçadão de Copacabana.

Nem aí!

De Serra, comentando a autorização para Dilma Rousseff voltar a acompanhar Lula em inaugurações depois que deixar o governo: "Azar o dela!"

Dependência química

A Justiça de São Paulo liberou o uso de bronzeador artificial no Estado. Resultado: tem loura saindo do Rio para pegar uma cor em clínicas de Santo André.

Tecla SAP

Dw Lula, despachando com o ministro Celso Amorim, ainda a caminho de Israel: "Como se diz mesmo "Lulinha Paz e Amor" em hebraico?"

Tutty Vasques

escreve todos os dias no portal, de terça a sábado neste caderno e aos domingos no "Aliás"

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.