O outro Pelé!

Mal comparando

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2012 | 23h54

Tô enganado, tá cedo ou o brasileiro resolveu economizar neste ano luzinha de Natal na sacada de casa? Capaz de causar desemprego na China!

Sempre cabe mais um

Se a Cúpula do Mercosul realizada nesta sexta-feira em Brasília admitir o ingresso da Bolívia e do Equador entre os membros do bloco econômico, a Grécia vai só esperar a abertura da janela da zona do euro para também pedir transferência.

Dúvida cruel

A denúncia é de José Dirceu: "José Serra foi passear com os netos na Disney!" Será que isso tem alguma coisa a ver com a falência da Tia Augusta, caramba?

Negócio da China

Campanha para estimular o carnaval de rua em São Paulo conta com o lobby de fabricantes de banheiro químico!

Dom Juan

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, não perde o cacoete de conquistador: deu agora para negar malfeitos no "seio da Presidência". Pode?

Fogo no rabo

Estádio onde o Corinthians vai estrear no Mundial de Clubes tem aquecimento no assento. Como se a Fiel precisasse disso!

Veta, Dilma!

O que faz o paulistano que não sai às ruas para pedir o veto da presidente Dilma ao projeto de lei que dá o nome do deputado Freitas Nobre ao Aeroporto de Congonhas? Parece que no Rio a pressão deu certo!

Na minha juventude de esquerda - ninguém é perfeito! -, aprendi a gostar de Oscar Niemeyer justamente pelo que a ditadura militar mais abominava no arquiteto: suas ideias comunistas.

Ele já vivia no exílio quando comecei a prestar atenção na poesia, na sensualidade e, sobretudo, na modernidade de seus traços eternizados na ousadia futurista de Brasília.

Mas só um bom tempo depois - melhor deixar as datas pra lá -, em uma viagem de férias a Paris, tive a exata dimensão do artista ao visitar uma retrospectiva de sua obra no museu Jeu de Paumme, no Jardin des Tuilleries. Ao final de um documentário exibido em auditório abarrotado de gente, os aplausos calorosos dos franceses me encheram de um orgulho patriótico que o Brasil autoritário praticamente sonegou de minha adolescência.

Até então, creio, só havia sentido algo parecido com os deuses do futebol, ainda que meu encantamento por Pelé torcesse contra certas ideias que, volta e meia, escapava-lhe ao microfone na contramão da minha juventude.

Bobagem! O tempo se encarregou de colocá-los - Pelé e Niemeyer - no ponto mais alto da admiração de todos os brasileiros. Pra sempre!

Tudo pra dar certo!

Como se não bastasse a experiência de assistente de palco do Ratinho, Marco Antonio Ricciardelli, o Marquito, levará para a Câmara Municipal de São Paulo o DNA de sobrinho do apresentador Raul Gil. Nem o Tiririca tinha currículo igual quando abraçou a carreira

política!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.