Wilton Júnior/AE
Wilton Júnior/AE

O mistério de Caramelo

Cachorro que comoveu o País por ficar ao lado da cova da dona no Rio não seria o verdadeiro

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2011 | 00h00

Depois de comover o País ao ser fotografado ao lado da cova de sua dona, o cachorro Caramelo voltou a ser assunto ontem. De acordo com reportagem do Diário de Teresópolis, reproduzida no Portal Comunique-se, a triste história não teria passado de uma grande confusão.

Segundo a reportagem, Caramelo realmente existe e perdeu seus donos na tragédia, mas o cão que apareceu ao lado do túmulo se chamaria John e seu dono seria Rodolfo Júnior, voluntário que trabalhava no Cemitério Carlinda Berlim. Segundo o Diário, não se sabe se a confusão começou após as fotos de John terem sido divulgadas como se fossem de Caramelo, ou se pela semelhança dos dois cães.

"Houve uma confusão que não se sabe onde começou", disse ao Comunique-se Anderson Duarte, autor da reportagem.

Um cachorro - que pode ser John ou Caramelo - acabou adotado pela família da advogada Márcia Xerez, que mora na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. O bichinho acabou fugindo na noite de anteontem.

No fim de semana, Márcia subiu a serra para adotar o cão, após ver sua história no noticiário. A aflição só acabou no início da noite de ontem. O animal foi encontrado no estacionamento de um shopping na Barra.

De acordo com Márcia, ao chegar, o cachorro parecia triste e cansado. No meio da noite, escapou.

Na terça-feira, Caramelo também foi um dos assuntos mais discutidos na rede social Twitter.

 

Veja também:

linkNúmero de vítimas por chuvas na Região Serrana do Rio chega a 710

linkClubes e atletas se mobilizam para ajudar vítimas das chuvas

blog Gabeira: Faltaram projetos e decisão política

mais imagensGALERIA - Grandes imagens da tragédia

mais imagensGALERIA 2 - Imagens de destruição e desespero

Mais conteúdo sobre:
rio chuvas cidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.