O mesmo Detran, dois atendimentos bem diferentes

Tempo de espera para transferir documento no posto do Shopping Interlagos chega a ser cinco vezes menor que no posto da Armênia

BRUNO RIBEIRO, WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2012 | 03h04

Os dois postos são oficiais do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP), mas, para o usuário, parecem dois órgãos completamente diferentes: um quase sem fila, com funcionários para ajudar e estrutura nova em folha; o outro, com longas filas, informações desencontradas e instalações em um prédio improvisado. Além do desconforto, o tempo de espera chega a ser cinco vezes maior de um para o outro.

O posto das filas fica na unidade Armênia da Avenida do Estado, na região central. Atende cerca de 8 mil pessoas por dia e tem 178 funcionários. O sem fila funciona no Shopping Interlar, em Interlagos, na zona sul, e dispõe de 193 funcionários para atender 3,5 mil pessoas. O prédio da Armênia ocupa espaço que já foi da Subprefeitura da Sé, onde as obras de adaptação continuam.

O Estado acompanhou nesta semana usuários nas unidades da Armênia e de Interlagos para comparar os serviços. A diferença entre o tempo de atendimento passou de duas horas em alguns guichês. E as queixas sobre as filas, comuns no órgão, só foram ouvidas na Armênia.

Um dos serviços básicos do Detran - transferir propriedade de veículo - retrata bem a diferença. Na Armênia, a professora Maria Aparecida Dourado, de 41 anos, demorou 3h30. "A fila estava grande e eu tive de pegar outra fila porque o licenciamento estava atrasado", contou, reclamando da dificuldade para estacionar.

Já em Interlagos, o também professor Ivo Duprat, de 24, gastou 30 minutos para a transferência. O único problema apontado está no site do Detran, que não informou sobre a necessidade de levar a razão social. "Por isso, tive de voltar hoje."

Em outro serviço, a diferença de espera é ainda maior. Em Interlagos, o administrador Eduardo Silveira, de 41 anos, demorou 30 minutos para transferir sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do Rio para São Paulo. Já o engenheiro gaúcho Gabriel Agostini, de 28, que também queria transferir a CNH a São Paulo perdeu 4h fazendo a transferência na Armênia. Como precisou transferir também o carro, ficou mais meia hora lá. Mas não conseguiu fazer o último serviço. "Estou só com a habilitação, mas precisa do RG, que ficou no Sul", disse. "Esse processo todo faz parecer que estou mudando de País, não de Estado."

Estrutura. Locais para sentar, distribuição de senhas e letreiros luminosos informando quem é o próximo a ser atendido marcam os novos endereços do Detran - além do posto em Interlagos, há outro no Shopping Aricanduva, na zona leste. Na Armênia, o Detran mantém as filas organizadas em caracol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.